Menu

Ciberataques e serviços financeiros: boas e más notícias

Joe Bernik, CTO da McAfee para serviços financeiros Joe Bernik, CTO da McAfee para serviços financeiros

Dos ataques relatados, a maioria estava associada ao DDOS ou eram principalmente esforços de extração de dados de cartões

Joe Bernik (*) 

O setor de serviços financeiros continua a ser alvo de ataques cibernéticos, conforme destacado no relatório Verizon 2017 Data Breach Investigations. No entanto, a tendência de ciberataques também migrou para outras verticais, como o setor de saúde com o ataque WannaCry e outras violações de dados hospitalares. Espera-se que os investimentos significativos dos bancos tenham funcionado e que a redução nos incidentes gerais seja uma demonstração de sua melhor postura de segurança. Dos ataques relatados, a maioria estava associada ao DDOS ou eram principalmente esforços de extração de dados de cartões.

O roubo de contas continua a ser um problema para o setor bancário, embora as melhorias na detecção e autenticação de fraude tenham reduzido o sucesso desses tipos de ataques. Enquanto isso, o uso indevido de informações privilegiadas continua a aumentar e os bancos claramente precisam fazer mais investimentos em seus sistemas e análises comportamentais para se protegerem. 

Melhorias de segurança podem ter reduzido o número de violações dos serviços financeiros. Por outro lado, também devemos examinar uma teoria alternativa: que a grande disponibilidade de dados financeiros reduziu seu valor e, portanto, levou os criminosos a buscar caminhos mais lucrativos - por exemplo, dados de saúde, números de seguros sociais ou outros dados pessoais. Analistas do sistema de saúde do Reino Unido estimam que a informação médica pode valer dez vezes mais do que os números de cartão de crédito na Dark Web. 

Os cibercriminosos sempre vão procurar monetizar ataques. A atividade criminosa ainda irá afetar as instituições financeiras, que continuarão a suportar o peso das perdas monetárias associadas ao cibercrime independentemente da indústria originalmente segmentada. 

Além disso, podemos esperar um aumento nos ataques móveis e baseados em nuvem, pois essas tecnologias estão ganhando o consumidor. Para contornar essas ameaças, a comunicação entre o setor financeiro e as linhas verticais da indústria será uma das melhores defesas, já que o negócio do cibercrime continua acompanhando a evolução técnica. 

(*) CTO da McAfee para serviços financeiros

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo
Info for bonus Review William Hill here.

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes