Menu

Três dicas para descobrir qual a nuvem ideal para o seu negócio

Nilton Cruz, diretor de pré-vendas da Fujitsu no Brasil Nilton Cruz, diretor de pré-vendas da Fujitsu no Brasil

Adoção da computação em nuvem fez com que os processos se tornassem mais simples e eficientes

Nilton Cruz (*)

Além de se tornar uma ferramenta fundamental para as empresas, a adoção da computação em nuvem fez com que os processos se tornassem mais simples e eficientes. Com o avanço da transformação digital no mundo, as organizações passaram a investir em otimização de gestão, com o objetivo de diminuir riscos, evitar perdas e reduzir custos.  

Segundo uma pesquisa sobre oportunidades de crescimento para os fornecedores de TI com o avanço da nuvem, realizada pela consultoria  Gartner, em 2019, as ofertas de serviços e estrutura de cloud vão movimentar mais de US$ 300 bilhões até 2021. Entretanto, não é difícil notar as incertezas, por parte das empresas, em relação às mudanças, em qual tipo de nuvem devem investir e se o investimento atenderá suas necessidades. E para esclarecer algumas delas, listamos três dicas básicas que vão te ajudar a encontrar a nuvem ideal para o seu negócio.

1- Defina o que sua empresa realmente precisa

O primeiro passo é entender o que a sua empresa precisa, por isso, a recomendação é que a equipe de TI esteja alinhada com todas as áreas da organização. No passado, havia certa resistência em relação à disponibilidade e infraestrutura da migração para nuvem. Contudo, cada vez mais, as empresas estão percebendo que um ambiente em nuvem se torna fundamental para melhorar tanto a experiência do cliente, quanto a produtividade dos colaboradores, que podem dedicar seu tempo em tarefas mais estratégicas, inclusive, de forma remota.

2- Entenda a diferença entre os tipos de nuvens

Existem três tipos de nuvem. A pública que, geralmente, é a opção mais acessível e voltada a empresas menores por oferecer uma estrutura compartilhada entre diversos clientes e ter sua interação por meio de protocolos da internet. A nuvem privada, em que a companhia pode dedicar sua estrutura apenas às suas necessidades por meio de um datacenter, por exemplo. E a nuvem híbrida que, por sua vez, é a mescla das duas anteriores e pode ser uma alternativa para empresas que estão começando a crescer, porque otimiza o uso da infraestrutura oferecida pela companhia.

No Brasil, a tendência é pela adoção dessa opção, que combina os benefícios da nuvem pública, como o menor custo, aos da nuvem privada, como maior controle dos dados.

3- Invista em profissionais especializados

É importante que a empresa tenha profissionais especializados no assunto, seja como parte da equipe interna de TI ou por meio de uma consultoria. Isso possibilita não apenas um melhor planejamento das atividades, reduzindo os riscos, mas também faz com que eventuais problemas sejam tratados rapidamente e não gerem situações desconfortáveis ou inseguranças nos funcionários em relação às mudanças.

(*) Diretor de pré-vendas da Fujitsu no Brasil

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes