Ciab 2015 - Executivos Financeiros - Executivos Financeiros http://executivosfinanceiros.com.br Wed, 24 Jan 2018 11:08:30 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br 25ª edição do Ciab Febraban bateu recordes de participação http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/964-25?-edicao-do-ciab-febraban-bateu-recordes-de-participacao http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/964-25?-edicao-do-ciab-febraban-bateu-recordes-de-participacao 25ª edição do Ciab Febraban bateu recordes de participação

Mais de 20 mil pessoas circularam pelo evento, um aumento de 35% sobre a edição passada

A 25ª edição do Ciab Febraban - Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras - contou com um time de palestrantes de peso, que dividiu os auditórios espalhados pelo Transamérica Expo entre os dias 16 e 18 de junho, para abordar e debater tendências e desafios do setor de tecnologia no mercado financeiro. Considerado o principal evento da área na América Latina, recebeu um público recorde de aproximadamente 20 mil visitantes, saldo 35% acima do da edição de 2014, e mais de dois mil congressistas, número 18% superior em relação ao mesmo período.

A edição comemorativa do Ciab Febraban 2015 bateu outros recordes de participações: foram 210 painelistas, número 70% superior ao de 2014; além de 136 expositores, 16% a mais que na última edição. O evento contou também com o apoio de 38 patrocinadores, somando todas as categorias, o que representa 100% de aumento em relação a 2014.

O ciclo de palestras foi encerrado com a participação do Bruce Dickinson, empresário e vocalista da banda de heavy metal Iron Maiden, que deu um show de empreendedorismo ao contar um pouco sobre seus negócios, dando dicas de como ser criativo e como transformar clientes em fãs. O músico é CEO e um dos principais investidores da Cardiff Aviation, companhia especializada em manutenção de aeronaves comerciais da Airbus e Boeing. Além da paixão pela música e pela aviação, Dickinson e a banda Iron Maiden também são proprietários da marca de cerveja Trooper, bebida preparada pela cervejaria Robinsons, vendida desde 2013 e inspirada no grupo de heavy metal. Dickinson falou por mais de uma hora para um auditório lotado, que pôde interagir no final enviando perguntas ao palestrante.

Outros destaques internacionais foram Chris Skinner, um dos líderes mais influentes do setor financeiro, e Jimmy Wales, empresário norte-americano fundador da Wikipédia. Skinner, que também é fundador e presidente do Financial Services Club, discursou sobre o período de transição dos bancos para a modernização visando otimizar os serviços aos clientes.

Já Wales contou um pouco da história da Wikipedia - como nasceu a plataforma, como se mantém atualmente, e apresentou ainda alguns dados interessantes, como o perfil dos usuários mundiais e brasileiros. O executivo mostrou também alguns dados locais, como o número de artigos em português na versão brasileira da plataforma, que atingiu a marca de 876 mil, e afirmou que 2,3% dos page views globais são do Brasil, média superior à de Portugal, por exemplo.

“Felizmente temos crescido a cada edição do Ciab Febraban e isto nos deixa muito orgulhosos. Este ano, tivemos excelentes palestrantes, debates e discussões de alto nível, além de um número recorde de visitantes. Com isso, acreditamos que cumprimos nossa missão de contribuir com a evolução do setor e ainda gerar diversas oportunidades de negócios para os participantes. Esperamos todos novamente na próxima edição”, comemora Gustavo Fosse, diretor Setorial de Tecnologia Bancária da Febraban.

]]>
Ciab 2015 Mon, 22 Jun 2015 00:00:00 +0000
Tecnologia integrada para proteção de instituições financeiras http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/962-tecnologia-integrada-para-protecao-de-instituicoes-financeiras http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/962-tecnologia-integrada-para-protecao-de-instituicoes-financeiras Tecnologia integrada para proteção de instituições financeiras

Solução da Intel Security permite troca de informações entre sistemas de segurança

As fraudes nas áreas bancárias e financeira são das mais avançadas do mundo, requerendo muita proteção às atividades das organizações. Levando em conta este fato, a Intel Security trouxe para o Ciab Febraban 2015 algumas soluções de segurança voltadas para esta vertical. 

A plataforma de Interconexão de Segurança – TIE permite que informações de segurança sejam trocadas entre diferentes sistemas de proteção, como firewall, IPS, antivírus e DLT. E permite que todas essas ferramentas trabalhem de maneira conjunta e troquem inteligência entre si. 

“O mercado vem mostrando que muitas empresas têm todas essas soluções, mas elas não conversam entre si, as áreas não conversam, e a fraude acaba acontecendo”, explica o gerente de engenharia de sistemas da Intel Security, Brunno Zani. 

Ainda segundo ele, a tecnologia nasceu dentro da Intel Security para criar um padrão de troca de informações de segurança porque ela acredita que as ferramentas têm que ser mais colaborativas. “Ferramentas isoladas tendem ao fracasso”, adverte ele. 

Com essa plataforma da Intel Security, é possível alimentar as ferramentas e seus administradores com informações mais relevantes. A ideia é mostrar alertas muito mais inteligentes e com muito mais contexto. “No passado, eram simples geradores de logs, de alertas. E uma ferramenta que gera muito alerta perde seu valor agregado porque gera falsos positivos constantes”, avalia Zani. 

A empresa também apresentou durante o Ciab um console e as principais funcionalidades do Next Generation Firewall, com simulação de tecnologia de evasão de ataques e detecção de ameaças utilizando a solução. E o SIEM (Security Information and Event Management), além das ferramentas para endpoint McAfee Application Control e McAfee Endpoint Encryption.                             

A Intel Security fez demonstrações de suas tecnologias no estande da PromonLogicalis, provedora de serviços e soluções de tecnologia da informação e comunicação na América Latina, e parceira da Intel Security.

]]>
Ciab 2015 Sat, 20 Jun 2015 00:00:00 +0000
Novos scanners digitalizam 1.200 cheques por minuto via web http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/961-novos-scanners-digitalizam-1-200-cheques-por-minuto-via-web http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/961-novos-scanners-digitalizam-1-200-cheques-por-minuto-via-web Série i3000 - Scanner Kodak i3450

Equipamentos aceleram processo de digitalização, beneficiando bancos e outras verticais

O papel abre espaço para o digital, num mundo virtual que cada vez mais predomina no dia a dia das pessoas e organizações. Durante o Ciab FEBRABAN 2015, várias tecnologias mostraram a quantas anda esse processo de digitalização.

A Kodaki Alaris, neste cenário, lançou scanners mais velozes. O modelo i5800, por exemplo, é capaz de digitalizar 210 páginas (ou 420 imagens – frente e verso) por minuto. E 1.200 imagens de cheques (frente e verso) neste mesmo tempo. Também escaneia documentos amassados ou rasgados e os separa por tamanho. Já o modelo i5850 da Série i5000 garante a integridade dos documentos que estão grampeados, com o recurso Intelligent Protection.

E contam com softwares que capturam documentos de forma distribuída, via web. A solução evita riscos de perda ou furto e custos com transporte de documentos para centros de processamento dos bancos. A economia com o processo online, segundo Rheder Heiffig Silva, gerente de produtos da América Latina, “pode ser comparada ao custo Ad Valore de 4% do valor transportado”.

Para o setor financeiro, a empresa lançou a Série Scan Station, nas versões SS710 e SS73, scanners de rede com Touch Screen e possibilidades de soluções customizadas para embarcar dentro do scanner. A Série visa a utilização em abertura de contas em bancos, análise de crédito e outros processos de negócio dentro do conceito de “autoatendimento” ou “Kiosk”. 

A Kodak Alaris também lançou três novas versões de scanners das séries i2000, o i2420, 2620 e i2820, cujas velocidades de digitalização são respectivamente 40, 60 e 80 páginas por minuto. Podem ser utilizados em back-office de agências bancárias, concessão de linhas de crédito em redes varejistas e seguradoras, etc, áreas que precisam da máxima agilidade para não perder clientes. 

]]>
Ciab 2015 Sat, 20 Jun 2015 00:00:00 +0000
Presidente da EMC defende abordagem omnichannel na transformação digital http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/951-presidente-da-emc-defende-abordagem-omnichannel-na-transformacao-digital http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/951-presidente-da-emc-defende-abordagem-omnichannel-na-transformacao-digital Carlos Cunha, presidente da EMC Brasil

Conjunto de dados único, não separado em silos, é essencial para os bancos

Durante o painel “A indústria de TI e o mercado financeiro”, realizado ontem, durante o último dia do CIAB Febraban, o presidente da EMC Brasil, Carlos Cunha, disse que a indústria de tecnologia está pronta para a nova era dos bancos digitais. Ele frisou ser necessária uma comunicação integrada, na qual a mesma informação esteja em todos os departamentos por diversas plataformas, base do omnichannel. Para ele, será impossível ter agilidade e ser multicanal nessa transformação digital sem um “data lake”, um conjunto de dados único e que não pode ter silos.

Uma vez que os dados são do cliente, os bancos precisam começar a montar uma estrutura em cloud, ofertando uma “TI as a service” e montar um grande “data lake” interno. Assim, é possível aplicar o Big Data, incluindo a segurança preditiva e a agilidade para identificar uma fraude, começar a conhecer o cliente e se antecipar ao que ele possa querer. 

Para essa transformação aos olhos dos usuários dos bancos, o omnichannel deve ser uma prioridade. Cunha diz que a agilidade para atender o cliente é fundamental, ao mesmo tempo em que se deve pensar na sustentabilidade da plataforma. “Muitos dizem que o consumidor é Deus. Eu digo que o consumidor não é Deus, pois Deus perdoa, e o consumidor, normalmente, não”, frisou o presidente da EMC, ao fazer uma analogia que mostra o grande poder do cliente digital e multiplataforma da atualidade.

Para Cunha, a grande transformação trazida por essas novas tecnologias já está presente e são os colaboradores das empresas que estão correndo em todas as frentes. Por isso, desenvolver profissionais e talentos é o grande desafio do setor.

Para a múlti, apoiar a educação e contribuir com o desenvolvimento profissional dentro da corporação é a chave para integrar e fazer essa transformação digital acontecer por completo. Carlos Cunha mencionou que, nesse cenário, os profissionais, responsáveis por essa mudança precisam ter uma visão horizontal.

“Acredito que ambos os setores, indústria de TI e financeiro, precisam investir em educação. Na EMC, temos a Cátedra, junto ao Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Big Data EMC, o EMC Academic Alliance e diversos treinamentos de executivos, tudo isso envolvendo a área de Recursos Humanos – para otimizar essa cultura em toda a empresa”, argumentou.

Durante a realização do Ciab, a multinacional apresentou soluções que visam ajudar os bancos a explorarem as oportunidades da Terceira Plataforma: Mobilidade, Big Data, Nuvem e Mídia Social, além de ter participado em cinco dos painéis do Congresso.

O Congresso da 25o edição do CIAB foi dividido em cinco “trilhas”, das quais a EMC participou de duas: ‘TI & Telecom’ e ‘Segurança da Informação’. A empresa destacou a vinda de Chad Sakac, presidente mundial dos engenheiros de sistema da EMC Corporation, para participar do painel Bancos Digitais – Um Novo Negócio. Sakac falou da enorme quantidade de dados sensíveis que são gerados e trocados, e que precisam ser geridos para garantir eficiência, conformidade regulamentar e controle dos riscos, e da visão da EMC sobre essa transformação digital dos bancos.

Na “trilha” de Segurança da Informação a EMC esteve presente no painel “Deep Web & Cyber Security”, com apresentação da RSA, divisão de segurança da EMC. Nesta semana, a empresa divulgou seu primeiro “Índice de Deficiências em Segurança Cibernética” – o qual revelou que o tamanho da organização não é determinante para montar uma defesa cibernética substancial. Segundo a pesquisa, 75% das empresas participantes reportaram níveis insuficientes de maturidade nesse quesito. Durante o painel, além destes dados, a RSA falou sobre como mitigar riscos de fraudes causados por ataques DDoS em aplicações.

Por fim, a EMC ainda participou do painel sobre gamification, apresentando casos de sucesso utilizando técnicas de gamification para atingir e motivar pessoas a gerar resultados.

]]>
Ciab 2015 Fri, 19 Jun 2015 00:00:00 +0000
Novos ATMs resistem a explosões e agilizam transações http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/945-novas-atms-resistem-a-explosoes-e-agilizam-transacoes http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/945-novas-atms-resistem-a-explosoes-e-agilizam-transacoes Novos ATMs resistem a explosões e agilizam transações

Reciclagem de notas, biometria e mobilidade transformam os caixas eletrônicos

Com a crescente necessidade de dar mais segurança aos clientes e dificultar roubos a caixas eletrônicos, as tecnologias evoluem para reforçar os ATMs, agilizar a reposição de cédulas, inserir reconhecimento biométrico e incluir mais serviços móveis. Para o Ciab Febraban, a OKI Brasil trouxe equipamentos que resistem a explosão, não precisam de interface e fazem depósitos automáticos de dinheiro na conta dos correntistas.

O ATM Adattis Recycler tem um compartimento blindado adicional para os cassetes, dentro do cofre principal, que dificulta o acesso às notas em ataques por explosão. E permite que os depósitos feitos em dinheiro possam ser creditados em tempo real na conta do correntista, sem a necessidade do envelope e de contagem posterior. Desenvolvido no conceito de reciclagem, este ATM reaproveita o dinheiro depositado para saques de outros clientes e também identifica se a nota é falsa ou não, validando o depósito na hora.

A OKI Brasil também está mostrando o ATM Addatis Mobicash, que agenda transações bancárias como saques por meio de um aplicativo no smartphone, utilizando um dispositivo vestível, no caso um smartwacth 3, da Sony Mobile, que é equipado com a tecnologia NFC (Near Field Communication). Para finalizar a transação, basta aproximar o relógio no local indicado no Mobicash e confirmar a ação por meio de biometria. Esse ATM não tem interface para o cliente, que foi transferida para um dispositivo móvel. A redução de tempo do correntista noa ATM numa operação de saque diminui em até 60%.

Outra novidade é a plataforma de biometria da OKI, que introduz o uso de multibiometrias, recurso que pode ser empregado para a abertura de contas – dentro e fora da agência – e na substituição ou complementação de sistemas de cartões e senhas. Um bom exemplo dessa tecnologia foi dado pelo coordenador de comunicações corporativas da OKI Brasil, Alexandre Barbosa, que mostrou como o reconhecimento por face é feito quando uma pessoa entra numa agência. “É possível saber quem é o correntista e outras informações para personalizar ainda mais o atendimento. Por outro lado, se for um criminoso, o sistema também vai indicar”, comenta ele.

 

]]>
Ciab 2015 Thu, 18 Jun 2015 00:00:00 +0000
Resource aposta no Design Thinking para aprimorar produtos e soluções http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/941-resource-aposta-no-design-thinking-para-aprimorar-produtos-e-solucoes http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/941-resource-aposta-no-design-thinking-para-aprimorar-produtos-e-solucoes Tim Brown, CEO da Ideo

Empresa demonstrou metodologia como base da inovação durante o Ciab

Em 2009, Tim Brown, CEO da Ideo - empresa norte-americana consultora em design -, ficou mundialmente conhecido por compartilhar a estratégia que tornou a companhia uma das dez mais inovadoras do mundo. A partir de então, o Design Thinking passou a ser adotado por organizações de diversos segmentos e é visto como um método inovador de descoberta e desenvolvimento de valores e significados para projetos, serviços e produtos, além de ser uma forma eficaz de abordar e solucionar problemas.

Focada em oferecer o que há de mais inovador aos clientes, a Resource IT, multinacional brasileira integradora de serviços de TI, explorou o tema e passou a incorporá-lo em suas estratégias. O Design Thinking começou a ser utilizado para estimular novas ideias no Comitê de Inovação, formado por 30 profissionais que representam um time de 300 colaboradores focados em novas tecnologias, entre suas unidades do Brasil e dos Estados Unidos, tornando o desenvolvimento das soluções ainda mais próximo e adequado às expectativas dos clientes.

 “A inovação faz parte da cultura da Resource e o Design Thinking chegou para aprimorar o processo de desenvolvimento de produtos e soluções, principalmente porque conseguimos obter resultados rápidos e de forma assertiva”, afirma Jorge Sellmer, vice-presidente de Produtos e Inovação da Resource IT.

A teoria do Design Thinking busca perspectivas diferentes para resolver questões, priorizando o trabalho colaborativo em equipes multidisciplinares em busca de soluções inovadoras. De forma lúdica, os profissionais tornam-se mais capazes de se conectar e revigorar seus processos de criação e chegar a ideias que possam, efetivamente, solucionar um problema ou mesmo trazer um novo olhar para a tecnologia da informação.

A utilização da prática teve início no Centro de Pesquisa & Desenvolvimento da Resource no Vale do Silício, na Califórnia (EUA), inaugurado há um ano. Fabiana Batistela, diretora do núcleo, aprimorou seus conhecimentos na Universidade Stanford e replicou o conhecimento para a unidade brasileira. Hoje, 30 profissionais da Resource já estão prontos para a aplicação da abordagem e serão os responsáveis por disseminar a inteligência para seus respectivos times. O objetivo inicial é manter os 300 colaboradores envolvidos com novas tecnologias treinados para operar com Design Thinking.

De acordo com Fabiana, a cultura do Design Thinking ganhou força nos Estados Unidos e, principalmente, no Vale do Silício, onde estão concentradas grandes empresas responsáveis por novas ideias e descobertas no mundo da tecnologia. “Cientes da necessidade de transformação e com o compromisso em levar inovação aos nossos clientes, a Resource adotou o Design Thinking e os primeiros resultados positivos já começam a surgir”, ressalta.  

O Design Thinking possibilita à empresa maior objetividade e menor investimento na resolução de um determinado problema ou no desenvolvimento de um novo produto, gerando ganhos significativos à companhia. Como exemplo da utilização recente do procedimento, a Resource acaba de lançar a nova versão da solução Mobile Check. “Por meio do Design Thinking, conseguimos gerar melhorias na aplicação que podem aumentar em até 20% a produtividade nas atividades de vistoria apenas simplificando o uso do aplicativo por meio de protótipos e testes das possibilidades de erros e acertos antes de se iniciar uma fase de desenvolvimento”, antecipa Roberto Aran, diretor de Produtos e Inovação da Resource IT.

Para compartilhar o conhecimento e estimular o desenvolvimento de novas ideias, a Resource fez diversas sessões de 30 minutos durante o Ciab FEBRABAN 2015. Clientes, parceiros e demais interessados foram convidados a participar.

]]>
Ciab 2015 Thu, 18 Jun 2015 00:00:00 +0000
Migração para IPv6 é obrigatória para instituições financeiras http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/940-migracao-para-ipv6-e-obrigatoria-para-instituicoes-financeiras http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/940-migracao-para-ipv6-e-obrigatoria-para-instituicoes-financeiras Migração para IPv6 é obrigatória para instituições financeiras

No Ciab, PromonLogicalis defende migração urgente para o novo protocolo

O mundo está cada vez mais interligado e a Internet é a principal plataforma de conexão. Isso elevou o grau de maturidade dos usuários, que exigem mais e mais por uma boa qualidade em sua experiência. Não é diferente com o sistema bancário, que mais do que nunca necessita manter ou oferecer qualidade de serviços aos seus clientes.

É neste cenário que a adoção do IPv6 pelos bancos passa a ser uma obrigação urgente. Conforme aponta o gerente-sênior de tecnologia da PromonLogicalis, Lucas Pinz, o setor financeiro não pode ficar vulnerável e passivo diante de mudanças tecnológicas que estão ocorrendo.

“A questão é bastante séria e urgente para o setor financeiro, já que as operadoras estão em pleno processo de ativação do IPv6 para seus clientes domésticos. Estes usuários – que partir de 1º de julho terão acesso ao novo protocolo oferecido por suas operadoras – poderão ser afetados pela incompatibilidade de conexão ao se conectar a um banco que ainda use IPv4 e terão dificuldades em identificar a causa dos problemas, trazendo uma má experiência de uso”, alerta Pinz.

O IPv6 permite a criação de um número praticamente infinito de endereços públicos de internet, e apoia o crescimento contínuo da rede e a habilitação de uma gama cada vez maior de produtos e serviços. Além disso, assegura maior estabilidade e melhores tempos de respostas, evitando, por exemplo, que transações bancárias fiquem incompletas por problemas de conectividade.

A inovação no atendimento ao cliente é outro tema que está em risco por conta da demora dessa migração do IPv6. Pagamentos móveis, agências do futuro e aplicações de Internet das Coisas, por exemplo, demandam adoção do IPv6, tanto por conta dos serviços virtuais quanto devido aos vários dispositivos que precisam de endereçamento IP. “Mais uma vez, a migração é mandatória para que inovações tornem-se realidade”, finaliza o executivo.

Pensando nessa urgência e em como ajudar as instituições financeiras no processo de migração do IPv6, a PromonLogicalis – provedora de serviços e soluções de tecnologia da informação e comunicação (TIC) na América Latina – ministrou no dia de ontem a palestra “O desafio do IPv6 - Um roadmap para adoção do novo protocolo de internet nas redes bancárias, com custos controlados e sem riscos para os negócios”. 

]]>
Ciab 2015 Thu, 18 Jun 2015 00:00:00 +0000
Tecnologias tornam online depósitos em cheque http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/939-tecnologias-tornam-online-depositos-em-cheque http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/939-tecnologias-tornam-online-depositos-em-cheque Tecnologias tornam online depósitos em cheque

Com aplicativo no smartphone, cheques entram diretamente na conta. Pré-datados ficam sob custódia eletrônica.

Entre as novidades apresentadas na 25ª edição do Ciab FEBRABAN 2015, estão as tecnologias que realizam depósitos de cheques remotamente e fazem compensação direta na conta bancária, dispensando sua apresentação física.

Com o aplicativo instalado no smartphone, que reconhece o CMC7 (informações sobre banco, conta, agência, dígitos verificadores, valor etc.), o cliente só precisa tirar foto frente e verso do cheque, que entra na hora na conta, mesmo fora do horário bancário.

A OKI do Brasil, por exemplo, trouxe o MD Check Mobile, solução que processa automaticamente o depósito de cheques, que podem ser descartados após a compensação. A ferramenta, que foi apresentada no Ciab em um smartphone Sony Xperia M2, elimina a possibilidade de roubo e reduz custos com o transporte de valores. Basta tirar uma foto do documento e o software processa, automaticamente, o reconhecimento das informações do padrão CMC7.

A Recognition anunciou, na feira da Febraban, o lançamento da tecnologia de captura remota de depósitos, a RDC, também a partir de aplicativo instalado no smartphone e com as mesmas características. Para pessoas jurídicas efetuarem depósitos remotos de cheques, a empresa disponibiliza scanners com diferentes velocidades, que podem ler 100 cheques por minuto.

O cheque também é devolvido na mesma hora e o scanner imprime em seu verso o motivo da devolução. Sua reapresentação, se for devolvido sem fundos por exemplo, também é online.

Outra novidade interessante da Recognition é o deposito de cheques pré-datados. O aplicativo ou scanner identifica a data dos cheques, que ficam sob custódia eletrônica e podem entrar como antecipação de recebíveis. O scanner também paga boletos e outras contas de consumo – o usuário autoriza o débito onde estiver, independentemente do horário bancário.

]]>
Ciab 2015 Thu, 18 Jun 2015 00:00:00 +0000
Banese investe em captura remota de depósitos, com solução da Recognition http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/938-banese-investe-em-captura-remota-de-depositos-com-solucao-da-recognition http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/938-banese-investe-em-captura-remota-de-depositos-com-solucao-da-recognition Banese investe em captura remota de depósitos, com solução da Recognition

Novo serviço do banco possibilita reduzir movimento nas agências

Dentro da tendência do que se convencionou chamar de Banco Digital, o Banco do Estado do Sergipe – Banese – colocou em operação, em 12 de junho, a captura remota de depósitos, o RDC, solução desenvolvida pela Recognition, exposta no estande da empresa no Ciab 2015. O primeiro cliente a utilizar o serviço é a rede de postos de gasolina Presidente.

O novo serviço do banco pode ampliar sua atuação para todo o País. E agregar benefícios para os clientes, como estender o horário de depósitos, que passam a ser de 24h, com entrada automática na conta; diminuição da utilização de papel e de filas para depósitos. Para se ter uma ideia, segundo estudo da Recognition, a redução de pessoas nas agências deve ficar entre 20% e 40%, dependendo do perfil do banco.

O serviço está disponível para clientes selecionados. O objetivo do Banese é atingir 500 clientes na fase inicial e expandir para toda sua base progressivamente. Com 62 agências, 10 postos de serviços bancários, 464 caixas eletrônicos e cerca de 260 Pontos Banese, o banco está presente em todos os 75 municípios sergipanos. 

O RDC - Captura Remota de Depósitos – é um serviço que permite ao usuário fazer a digitalização de cheques e transmitir as imagens digitalizadas ao banco, a fim de que seja realizado o depósito e posterior compensação automaticamente. Os requisitos básicos para o serviço RDC incluem a utilização de um PC, acesso à Internet e scanner de cheques.

]]>
Ciab 2015 Thu, 18 Jun 2015 00:00:00 +0000
Jimmy Wales encerra segundo dia de Ciab Febraban http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/937-jimmy-wales-encerra-segundo-dia-de-ciab-febraban http://executivosfinanceiros.com.br/ciab-2015/937-jimmy-wales-encerra-segundo-dia-de-ciab-febraban Jimmy Wales

Evento contou ainda com inédita trilha técnica de seguros

O segundo dia da 25ª edição do Ciab FEBRBABAN contou com uma nova série de debates sobre tecnologias voltadas ao setor financeiro. O destaque do dia foi a palestra “A Wiki future”, de Jimmy Wales, empresário norte-americano conhecido internacionalmente por ser um dos fundadores da Wikipédia. O executivo, que também comanda a Fundação Wikimedia, organização sem fins lucrativos dedicada a encorajar o crescimento, o desenvolvimento e a distribuição de conteúdo gratuito, multilíngue e universal, abordou tendências como a conectividade massiva global e a penetração da Internet.

Wales contou um pouco da história do Wikipedia, como nasceu a plataforma, como se mantém atualmente e apresentou ainda alguns dados interessantes, como o perfil dos usuários mundiais e brasileiros. Ele mostrou também alguns dados locais, como o número de artigos em português na versão brasileira da plataforma, que atingiu a marca de 876 mil artigos, e afirmou que 2,3% dos pageviews globais são do Brasil, média superior à de Portugal, por exemplo.

Por fim, o empreendedor explicou que seu novo projeto, o Wikipedia Zero, é de grande valor para que populações de baixa renda possam usufruir do acesso gratuito a dados por meio de dispositivos mobile. A ideia é que, com isso, os usuários possam continuar colaborando com as pesquisas que alimentam a plataforma ao redor do mundo.

O segundo dia do congresso contou também com a estreia da trilha técnica “Seguros”, inédita em 25 anos de Ciab FEBRABAN. O tema é uma parceria entre o CNSeg e o próprio Ciab. Foram discutidos assuntos como: “Mercado Segurador”, “Internet das Coisas (IoT) no Mercado Bancário e de Seguros”, “Consumidor e a Proteção de Mercado” e “Prevenção e Combate à fraude em Gerenciamento de Riscos”.

Nesta quinta-feira, além de apresentações de todas as trilhas técnicas (TI e Telecom, Meios de Pagamento, Segurança da Informação, Seguros e Bancos Internacionais, de Investimento, Comerciais e Financeiras), Bruce Dickinson, empresário  e vocalista do Iron Maiden, encerrará o evento falando sobre empreendedorismo

]]>
Ciab 2015 Thu, 18 Jun 2015 00:00:00 +0000