Menu

Mercos traça metas agressivas para os próximos três anos

Mercos traça metas agressivas para os próximos três anos

A startup pretende movimentar R$ 60 bilhões em vendas em 2022 por meio de sua plataforma

Criada há oito anos e especializada em software para gerenciar e potencializar vendas, a Mercos registrou crescimento de 300% nos últimos quatro anos.

A startup tem como meta movimentar R$ 60 bilhões  em vendas por meio de sua plataforma em 2022 em indústrias, distribuidoras e representantes comerciais.

Somente em 2018, a Mercos movimentou R$ 21 bilhões por meio de sua plataforma e espera ampliar esse resultado, com o propósito de contribuir para movimentar a economia do Brasil.

“Estamos atentos às necessidades do mercado, e temos identificado e desenvolvido soluções cada vez mais relevantes para nossos clientes. Nossa principal missão é ajudar os clientes a vender mais, e temos feito isso criando diferentes recursos em nosso sistema. Um exemplo é o e-commerce B2B”, explica Tiago Brandes, CEO da Mercos.

O e-commerce B2B permite receber pedidos dos clientes pela internet e trabalhar de maneira integrada aos vendedores.

O seu diferencial é ser um novo canal de vendas integrado, sem conflitos. Uma das principais vantagens é a retenção de dados das vendas pelo software da Mercos, que permitem a análise de indicadores em uma única plataforma, o que facilita o aprimoramento de estratégias e potencializa as vendas.

Parte da estratégia da startup para manter um crescimento sustentável e orgânico está em garantir o aumento do número de clientes.

Para isso, a Mercos criou em 2018 o Programa de Parceiros com empresas de ERP. As empresas participantes têm soluções que complementam a da startup, e indicam o software da Mercos para seus clientes.

Com isso, ganham uma comissão recorrente sobre as indicações fechadas. O programa teve início em 2018, possui 188 empresas cadastradas e já é responsável por mais de 20% das novas vendas.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes