Menu

CSU lucra R$ 8,1 milhões no primeiro trimestre de 2018

CSU lucra R$ 8,1 milhões no primeiro trimestre de 2018

Foi aprovado pagamento de R$ 18,1 milhões, entre juros sobre capital próprio e dividendos, representando payout de 40% sobre o lucro líquido de 2017

A CSU, empresa que atua no mercado brasileiro de prestação de serviços de alta tecnologia voltados ao consumo, relacionamento com clientes, processamento e transações eletrônicas, anunciou um lucro líquido de R$ 8,1 milhões no primeiro trimestre de 2018 (1T18) e EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 21,1 milhões. No mesmo período, a receita bruta da companhia foi de R$ 120,5 milhões e receita líquida de R$ 108,5 milhões.

De acordo com o CFO da CSU, Ricardo Ribeiro Leite, este foi o primeiro período após a finalização de contratos em processamento de cartões e contact center com o Banco BMG. Com isso, a companhia registrou queda de 2,5% do lucro líquido na comparação com o mesmo período do ano anterior. Segundo Leite, a empresa segue capitaneando oportunidades comerciais e evoluindo em suas linhas de negócios, colhendo os frutos dos acertos estratégicos implementados nos últimos anos.

"Nesse trimestre, a CSU conquistou novos contratos em todas as divisões que compõem a CardSystem, capturou oportunidades de up-sell e cross-sell entre as quatro Divisões e obteve êxito nos processos de renovação de contratos. Acreditamos que os próximos meses ainda serão desafiadores. Confiamos na superação desse período com segurança e com uma entrega consistente de resultados", afirma.

A CardSystem, divisão responsável pelas atividades de processamento e administração de meios eletrônicos de pagamento, encerrou o 1T18 com 18,8 milhões de cartões cadastrados e 15,0 milhões de cartões faturados, com mais de 600 mil cartões adicionados à base no período. Além do desenvolvimento de novas soluções para diferentes formas de pagamento, foram empregadas novas tecnologias junto ao processamento dos meios tradicionais de pagamentos – empreendendo todo potencial inovador das tecnologias oferecidas pela plataforma CSU.Digital – com comprovada demanda dada a contratação da plataforma pela maioria dos clientes dessa Divisão.

Na MarketSystem, divisão provedora de soluções de marketing de relacionamento, programas de fidelidade (loyalty) e incentivo e e-commerce, o volume financeiro transacional foi de R$ 53,2 milhões, com crescimento de 19,3% na comparação com o mesmo período do ano anterior, favorecido pela retomada do consumo na economia e pela sazonalidade do período.

No início de 2018, a MarketSystem ampliou seu escopo de atuação para programas de incentivos B2B. O objetivo da nova estratégia adotada pela MarketSystem é oferecer ao mercado tecnologia para que os clientes tenham à sua disposição uma plataforma flexível, parametrizável e customizada com a identidade da sua empresa para engajar seus colaboradores e parceiros no atingimento de metas, trabalhando a motivação da equipe e recompensando o êxito no resultado com pontos para troca no catálogo de prêmios, que possui milhares de produtos, entre eles, diversas companhia aéreas, hotéis, pacotes de viagem, experiências e serviços.

"Firmamos contrato com cliente do setor financeiro para o desenvolvimento do seu programa de incentivo. Ainda nesse trimestre, lançamos o OPTe+ Viagens, a nova opção de resgate para base de clientes do programa BR Premmia, e realizamos parceria para implantação do projeto Trânsito Mais Gentil com o objetivo de reconhecer, com pontos OPTe+, os melhores motoristas clientes da Porto Seguro", conta Ricardo Ribeiro Leite.

Mercado de terceirização

Já a Divisão ITS, especializada na terceirização de serviços de TI, segue focada em sua consolidação no mercado de terceirização de TI e Cloud Computing, firmando, recentemente, o contrato a SMC Pneumática, líder mundial no mercado de equipamentos pneumáticos para prestação de serviços de Contingência (Disaster Recovery as a Service).

Por fim, a CSU Contact, Unidade especializada na prestação de serviços de atendimento ao consumidor, encerrou o primeiro trimestre do ano com uma média de 2.131 posições de atendimento (PAs) faturadas, uma expansão líquida de 17 PAs na comparação com o 4T17.

Nesse trimestre, a Unidade implantou novo produto de televendas na Edenred (Ticket), fornecedor global de soluções transacionais para empresas, empregados e comerciantes. Já com a Claro Brasil, renovou contratos comerciais e aumentou a participação no e-commerce e na linha de recuperação de crédito. "Temos boas perspectivas para essa Divisão nos próximos meses, bem como a ampliação de operações já existentes da base de clientes CSU", finaliza Ricardo Ribeiro Leite.

No 1T18, a companhia realizou investimentos no montante de R$ 12,2 milhões, superior em 24,4% em relação ao 1T17 e em 12,2% em relação ao 4T17.

Os investimentos seguem com maior predominância na Divisão CardSystem, dada a maior necessidade de alocação de capital com as customizações e desenvolvimento do software utilizado para o processamento de cartões e, mais recentemente, com a plataforma CSU.Digital para instituições financeiras e varejistas de todos os portes que tenham como meta o fornecimento de produtos e soluções digitais voltados às necessidades do seu cliente.

Nos últimos trimestres, houve aumento gradativo da participação de investidores estrangeiros no capital que, ao final de março de 2018, representavam 17,9% do free-float da Companhia (+4,9 p.p. YoY). A maior participação de acionistas estrangeiros, aliada à entrada da CSU em novos índices – desde setembro de 2017, passou a integrar o SMLL (Índice Small Cap) e o IBRA (Índice Brasil Amplo) –, reflete o trabalho de ampliar relevância no mercado de capitais brasileiro.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes