Menu

Clientes da Fama têm bons resultados no primeiro trimestre

Clientes da Fama têm bons resultados no primeiro trimestre

As empresas registraram crescimento médio de 12% na receita entre janeiro e março deste ano

As companhias que compõem o portfolio da Fama Investimentos, gestora de recursos de empresas brasileiras de capital aberto, fecharam o primeiro trimestre deste ano com aumento médio de 12% na receita.

As companhias que apresentaram as maiores taxas de crescimento da receita no período em relação ao primeiro trimestre do ano passado com a Localiza (34%), em consequência do aumento de 32% de sua frota; a Randon (25%), que só não teve uma performance ainda maior porque uma de suas plantas está em processo de melhorias; e a MRV (23%), que reconheceu a receita de vários lançamentos realizados.

Durante esse período, a Fama Investimentos aumentou sua participação na LOG, empresa de logística na qual começou a investir em dezembro de 2018. 

“Este é o conjunto de empresas relevantes que, a despeito da estagnação econômica e incertezas, está pisando no acelerador e fazendo uma série de movimentos estratégicos. Estamos observando que este grupo, mesmo com a situação do País pouco favorável, está se movimentando e alcançando resultados positivos em várias vertentes do mercado”, comenta Fabio Alperowitch, co-fundador e portfolio manager da Fama Investimentos.

Quando analisado o crescimento em EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), o maior destaque do portfolio da Fama ficou por conta da Klabin, empresa produtora de embalagens, que teve um aumento de 32% em relação ao mesmo período do ano passado. 

“Uma das características que traduzem esse crescimento é a flexibilidade de produção da Klabin. Ela pode rapidamente aproveitar o mercado interno, vendendo mais embalagens quando o cenário é mais forte, ou exportando celulose, quando o mercado externo está aquecido ou o câmbio está mais favorável”, analisa Alperowitch.

A Mills foi a segunda empresa com melhor evolução do EBITDA, com um crescimento de 31% em comparação ao mesmo período de 2018. Para Alperowitch, estes bons resultados estão muito relacionados com o trabalho interno que a companhia vem fazendo nos últimos meses.

O executivo destacou, aindaa o processo de fusão com a Solaris, segunda maior empresa do setor, o que deverá trazer expressivos ganhos futuros, fruto de uma combinação estratégica e com muita sinergia.

A terceira empresa de maior aumento em EBITDA foi a Localiza, um crescimento decorrente do recente aumento de receita da companhia. 

Em relação às empresas com o melhor aumento de margem, o destaque vai novamente para a Mills, que cresceu 8 pontos percentuais em relação ao primeiro trimestre do ano passado, decorrente dos ajustes internos comentados anteriormente.

A Klabin, que cresceu 6 pontos percentuais em margem neste período, foi ajudada pelo ambiente com melhores preços e a situação atual do Real mais desvalorizado.

“Os resultados alcançados pelas companhias do portfolio da Fama mostram que o cenário econômico incerto não impacta negativamente todas as empresas. Negócios bem administrados, sólidos e que são geradores de caixa conseguem crescer e fazer vários movimentos inesperados”, assinala Alperowitch.

Diversas movimentações realizadas neste trimestre demonstram que algumas companhias aproveitam o momento para encontrar alternativas para acelerar seus crescimentos futuros, a despeito da estagnação econômica.

A RaiaDrogasil, por exemplo, comprou as operações da Onofre que, não apenas incrementa sua presença em São Paulo, como também acelera o crescimento do e-commerce, onde a Onofre tem bom desempenho.

Seguindo movimento similar, a Duratex anunciou recentemente a aquisição da Cecrisa. A companhia já tinha uma operação pequena em cerâmicas, a partir do investimento na Ceusa, marca adquirida em 2017 e que já vinha passando por um processo de duplicação de capacidade, que será concluído em dois meses. Com a compra da Cecrisa, a Duratex ingressa definitivamente nesse segmento.

A Localiza anunciou um aumento de capital expressivo de quase R$ 2 bilhões. Os recursos serão utilizados basicamente para a expansão da frota, após já tê-la duplicado nos últimos três anos. O cenário da companhia aponta para um grande aumento de demanda e um ritmo acelerado de crescimento.

Já a Klabin anunciou neste primeiro trimestre um novo ciclo de investimento de R$ 8 bilhões. A Randon, por sua vez, divulgou uma joint-venture com a Triel, empresa da área de implementos rodoviários. No mesmo período, a SulAmérica divulgou um investimento de R$ 100 milhões na Órama, uma plataforma de investimentos.

A Multiplan também tem sido bastante ativa, criando uma agenda bem clara de geração de valor e crescimento. A companhia realizou investimento na Delivery Center, empresa especializada em entregas, com o objetivo de mudar a forma com que o consumidor frequenta o shopping.

Além disso, aumentou sua participação no BH Shopping, revelou um novo empreendimento em Jacarepaguá e também a incorporação de um complexo residencial em Porto Alegre.

A Mills  finalizou seu processo de fusão com a Solaris. Por fim, a LOG concluiu sua operação de aumento de capital, recursos que serão destinados para acelerar o crescimento da companhia e de novos empreendimentos.

“Temos uma carteira com cerca de 15 empresas e adotamos uma estratégia única para todos os investidores, o que nos diferencia da maioria das demais gestoras. Contamos com 76% de investidores institucionais, 14% de Family Offices e 10% de indivíduos de alta renda. Destes, 42% são da Europa, 37% da América do Norte e 21% do Brasil. Nosso foco a partir de agora será aumentar a participação dos brasileiros”, finaliza Alperowitch.

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes