Menu

Empresas de private equity registraram recorde de US$ 2,49 trilhões em ativos no final de 2016

Empresas de private equity registraram recorde de US$ 2,49 trilhões em ativos no final de 2016

Essa indústria continua a relatar retornos fortes, mas o novo artigo do The Boston Consulting Group mostra que as empresas de PE precisarão tomar ações decisivas para capitalizar

As empresas de Private Equity (PE) estão se beneficiando de condições de mercado quase ideais neste momento, mas a maré está mudando e elas devem aproveitar esta oportunidade para pensarem sobre sua vantagem competitiva e diferenciação. Esse é o principal achado do “Capitalizing on the New Golden Age in Private Equity”um novo artigo do The Boston Consulting Group (BCG).

 Em todo o mundo, empresas de PE tiveram um recorde de US$ 2,49 trilhões em ativos no final de 2016, incluindo quase US$ 1 trilhão em capital não investido. Como retornos globais continuam a bater outras classes de ativos, particularmente hedge funds, o capital continua a fluir para agências de PE, e novos concorrentes estão entrando no campo. Não só as empresas estão se esforçando para se diferenciar neste novo ambiente, mas o novo dinheiro está oferecendo múltiplos de negócios e colocando os retornos futuros em questão. Ao mesmo tempo, alguns investidores continuam a desafiar a estrutura tradicional de taxas das empresas: 2% dos ativos sob gestão e 20% dos ganhos. E, à medida que a influência econômica do setor de PE cresce, as empresas vão se encontrar sob análise crescente pela mídia e, potencialmente, pelos governos.

 "As condições atuais são favoráveis de muitas maneiras, mas também existem desafios que estão chegando", diz Tawfik Hammoud, sócio sênior do BCG e principal autor do artigo. "Nós pensamos que os gestores de alto nível usarão isso como uma oportunidade - ou mesmo um imperativo - para aprimorar seu pensamento, melhorar sua disciplina, e serem mais ousados nas diversas dimensões de seus negócios."

 Três Imperativos

Especificamente, as empresas de Private Equity devem tomar três medidas:

 1)      Transformar seus guias operacionais pelo lado de dentro. Muitas empresas mantêm seu portfólio em um padrão operacional muito maior do que elas próprias. Em um mercado cada vez mais lotado, essa abordagem não funciona mais. Ao invés disso, as empresas precisam melhorar suas próprias operações e processos internos, principalmente por meio da digitalização. "Algumas empresas estão ocupadas criando novos papéis, como os principais funcionários digitais, e são muito mais proativas sobre como medir o impacto das tecnologias digitais em seu portfólio", diz Michael Brigl, sócio e coautor do relatório BCG.

 2)      Desenvolver uma verdadeira estratégia de talento. As empresas precisam trazer as pessoas certas, com grande experiência, especialmente em áreas digitais. Isto é especialmente importante, tendo em conta o modo como algumas pequenas empresas registraram crescimento meteórico nos últimos anos. O planejamento da sucessão e a diversidade estão cada vez mais na mente dos investidores e precisam estar no topo das agendas dos sócios gerais.

 3)      Atualizar sua abordagem para a criação de valor. Ao invés de agir em apenas uma ou duas áreas de seu portfólio, as empresas não podem deixar nenhuma peça fora do lugar. Isso inclui a adoção de novas estratégias que enfatizam o digital, melhorando os preços, criando um escritório de gerenciamento de projetos de ativistas enxutos e acelerando a integração de fusões.

 A idade de ouro atual não vai durar para sempre. Empresas inteligentes de PE estão tomando as medidas necessárias hoje para se preparar para os desafios futuros.

 Uma cópia do artigo pode ser encontrada em www.bcgperspectives.com

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo
Info for bonus Review William Hill here.

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes