Menu

Regulação das Fintechs de crédito traz confiança ao mercado

Regulação das Fintechs de crédito traz confiança ao mercado

ABFintechs afirma que nova legislação representa o reconhecimento da inovação promovida pelas startups na indústria financeira

O Conselho Monetário Nacional (CMN) acaba de anunciar a regulamentação das Fintechs (startups de tecnologia voltada para a indústria financeira) do segmento de crédito. Para a ABFintechs (Associação Brasileira de Fintechs) - que formou um grupo de trabalho específico para responder à Consulta Pública do Banco Central do Brasil para a criação das resoluções números 4.656, 4.657 e 4.658 -, a regulamentação tende a dar maior segurança e credibilidade às operações das Fintechs de crédito.

"O processo de co-criação da legislação adotado pelo Banco Central é muito bem visto pelas Fintechs. Enxergamos a legislação como um apoio e reconhecimento à inovação das Fintechs e ao seu poder de auxiliar a população a acessar serviços financeiros de qualidade e a custos mais acessíveis", afirma Mathias Fischer, Diretor de Regulação da ABFintechs.

Nos últimos meses, a Associação realizou mais de seis reuniões, por meio de seu grupo de trabalho, e contou com a participação de 32 Fintechs e a assessoria do Escritório Mattos Filho Advogados. "Nosso diálogo com o Banco Central tem sido positivo desde o princípio. Portanto, acreditamos que a regulação, de forma geral, vá gerar maior respaldo aos negócios das Fintechs de crédito, fomentando uma competição mais saudável no mercado. Apesar de as Fintechs atuarem legalmente, as regras existentes até então não haviam sido criadas especificamente para elas. Agora será possível operar de maneira regulada e sob a supervisão do Banco Central, o que gera maior confiança a todos os envolvidos no negócio", complementa Fischer.

A Associação também está formando um novo grupo de trabalho para discussão das obrigações que estas empresas passarão a ter. "Com a nova regulação, as Fintechs de crédito passarão a ser enquadradas como instituições financeiras. Com isto haverá necessidade de divulgação de dados para o Banco Central, o que é importante para a manutenção da solidez de nosso sistema, mas pode trazer custos adicionais para as Fintechs", afirma o Diretor de Regulação da ABFintechs.

A Associação irá conduzir uma análise detalhada da aceitação de suas sugestões e irá posicionar-se caso entenda que haja necessidade de ajustes na norma.

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes