Logo
Imprimir esta página

Descubra como migrar da loja física para o e-commerce

Rafael Reolon, diretor de expansão da SetaDigital Rafael Reolon, diretor de expansão da SetaDigital

O comércio eletrônico envolve um modelo de negócio distinto

Rafael Reolon(*)

É possível listar boas razões para iniciar um projeto de e-commerce. Há quem diga, por exemplo, que toda a estrutura de uma loja, da vitrine ao escritório, passa a funcionar dentro de um computador, e que milhares de clientes estão on-line. Isso nos leva a imaginar que eles aguardam ansiosamente a publicação de uma nova loja virtual para devorarem os estoques, não é mesmo?

Entretanto, não é tão simples assim obter sucesso neste meio. Para guiar o plano de sucesso da sua loja, vamos navegar no encantador varejo digital, que estimula as marcas a se reinventarem, por meio de uma importante pergunta: estou preparado para abrir uma filial com um modelo de negócio diferente e desafiador?

Inaugurar um comércio eletrônico, apesar de parecido com um físico, envolve um modelo de negócio distinto. Isso porque o planejamento elenca outros requisitos, a inauguração envolve novas decisões, a demanda por tecnologias tende a aumentar, os investimentos têm outras finalidades e o processo de venda é completamente diferente. Em resumo: pessoas, processos e tecnologias de um e-commerce divergem da operação de uma loja física.

A venda, em um comércio eletrônico, inicia em um catálogo de produtos bem organizado, que depende das descrições ricas de informação, chega ao carrinho de compras, passa pela aprovação do pagamento, separação da mercadoria, expedição do pedido e, finalmente, chega ao consumidor. Esse processo leva alguns dias, o que significa que o espaço de tempo para se relacionar com os clientes é maior no e-commerce.

É tudo muito desafiador, mas para se sobressair neste meio, existem alguns crucias primeiros passos. Primeiro, é necessário entender os seus diferenciais e, para isso, listar os pontos fortes da sua loja física, como o atendimento de qualidade, uma vitrine atraente, agilidade no processo de compra, novidades e produtos exclusivos, entre outros.

Listados? Então, vamos para o próximo passo, que é projetar a aplicação destes atributos no seu comércio eletrônico:

  • Atendimento de qualidade: mantenha este requisito no e-commerce e, para isso, explique todos os detalhes dos produtos que estiver oferecendo e, também, envie para o seu cliente, via e-mail ou mensagem de texto, o acompanhamento do seu pedido e, assim, abra um canal para que ele possa se comunicar. Um processo que humaniza e aproxima o consumidor.
  • Loja bonita e vitrine atraente: invista nos recursos visuais do seu site, no design, bem como nas facilidades para torná-lo atrativo e proporcionar uma boa experiência de consumo ao seu cliente. Aposte, também, nos anúncios.
  • Agilidade na compra: proporcione uma experiência rápida e assertiva. E, o mais importante, jogue limpo com o consumidor, sendo claro sobre o processo de entrega em seu e-commerce e os dias que demorarão para que o produto chegue em determinada localidade. Isso evita alguns descontentamentos por parte dos clientes.
  • Novidades e produtos exclusivos: atualize, imediatamente, a sua loja eletrônica com as mercadorias novas que chegaram na física e organize alguns descontos apenas para as compras realizadas no e-commerce, isso estimula o tráfego dos consumidores.

Analisando estes passos, você concluirá que no âmbito do varejo digital, os conceitos estão interligados e o elo é a tecnologia. Portanto, para garantir a produtividade da sua loja virtual e eliminar retrabalhos, é muito importante possuir um sistema de gerenciamento que se comunique com a plataforma de e-commerce. O objetivo é automatizar uma série de rotinas e processos que, sem a conexão das informações, precisariam ser feitos de forma manual. Pronto, agora, você está mais preparado para se desafiar no mundo do e-commerce!

(*) Diretor de expansão da SetaDigital

Template Design © Joomla Templates GavickPro. All rights reserved.