Menu

Empresas apostam na IA para fortalecer políticas de RH

Empresas apostam na IA para fortalecer políticas de RH

Desenvolver talentos e competências, monitorar a cultura organizacional e os ciclos de gestão são alguns dos benefícios que a tecnologia pode trazer às organizações na era da transformação digital

A inteligência artificial, que antes parecia algo bem distante do cotidiano do trabalho e das tarefas mais corriqueiras, hoje é capaz de revolucionar o ambiente corporativo em todas as suas áreas: do relacionamento interpessoal à prestação de serviços e oferecimento de produtos aos clientes. A tecnologia deu base para o desenvolvimento de novos e flexíveis parâmetros para a gestão de pessoas.

Para ajudar a promover essa transformação digital e humana, empresas cada vez mais têm buscado ferramentas como o PSIT, um aplicativo que alia os conceitos da psicologia sistêmica organizacional à inovação tecnológica.

Esse é o caso da Mestiça. Com o objetivo de auxiliar na consolidação da cultura organizacional, a agência de publicidade passou a usar o app dentro das políticas de gestão de pessoas, que auxilia no monitoramento e fortalecimento de valores fundamentais para a empresa, como diversidade, capacidade de compartilhar conhecimento, ausência de preconceitos, saber ouvir a todos e ter flexibilidade para aprender constantemente. “O nome da empresa, afinal, exalta o poder da miscigenação”, ressalta Denis Filippini, Chief Design Office (CDO) da Mestiça.

A Mestiça utilizou o PSIT para implementar um mecanismo de avaliação coletiva. O app permite que os próprios profissionais avaliem cotidianamente as contribuições de seus colegas dentro de um leque de dimensões e fatores que buscam contribuir para os resultados organizacionais. A plataforma digital ainda fornece dicas (feedforward) que direcionam o indivíduo a um processo de autodesenvolvimento mediante o uso de Inteligência Artificial e algoritmos de People Analytics, a mais recente tendência em gestão de pessoas.

“O aplicativo possibilita que eu enxergue, através dos olhos dos meus colegas, como eu tenho contribuído para a equipe e para a empresa, assim como as skills que eu posso aperfeiçoar. Acredito que esta hoje seja a melhor maneira de se fazer uma avaliação de desempenho e o monitoramento da cultura organizacional: coletivamente”, afirma Filippini.

O conceito segue a tendência de gestão nas empresas, cada vez mais horizontais e menos lineares. “Independentemente do nível hierárquico e da área de atuação, todos os colaboradores podem ‘psitar’ os demais colegas e isso torna a análise mais rica e verdadeira”, complementa. As avaliações são anônimas, inclusive, o que mitiga viés positivo ou negativo pautado nas relações pessoais.

Assim que termina uma reunião, por exemplo, os colaboradores podem alimentar o aplicativo com as suas percepções sobre os colegas em diversas competências, trazendo dinamismo e amplitude aos modelos mais tradicionais de feedbacks.

O PSIT é uma ferramenta bastante versátil, que pode ser utilizada para diversas finalidades, como avaliação de resultados, mapeamento de contribuição dos colaboradores, monitoramento de clima e de cultura organizacional, avaliação de desempenho e competências e até para acompanhar ciclos de gestão. “Os parâmetros são flexíveis. Analisamos o que a empresa precisa e customizamos o aplicativo para atender a essas necessidades”, afirma Susana Falchi, sócia da HSD Consultoria de RH.

 
 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes