Menu

HSBC constrói o banco do futuro com MuleSoft

Com o Anypoint API Community Manager da MuleSoft, o HSBC está criando colaborativamente novas experiências de cliente com um ecossistema mais amplo de desenvolvedores e parceiros da economia das API

A MuleSoft, fornecedora da plataforma líder para construção de redes de aplicativos, anuncia que o HSBC está utilizando a plataforma Anypoint da MuleSoft para criar uma plataforma bancária digital visando impulsionar o banco do futuro. Como uma das maiores organizações de serviços bancários e financeiros do mundo, o HSBC está aproveitando o open banking, ou sistema bancário aberto, para gerar novas experiências conectadas para seus mais de 38 milhões de clientes em todo o mundo. Com a MuleSoft e seu Anypoint API Community Manager, o HSBC está criando APIs que desbloqueiam com segurança o acesso aos principais produtos bancários para permitir a colaboração com parceiros, acelerar a inovação e abrir novos canais de receita.

O aumento dos requisitos do PSD2 e o sistema bancário aberto exigem que as instituições financeiras compartilhem dados de clientes com desenvolvedores de terceiros por meio de APIs. As experiências dos clientes conectados são agora o novo campo de batalha. Os bancos estão passando por uma revolução na qual precisam passar de transações para interações personalizadas e serviços digitais para os clientes. O HSBC está aproveitando uma estratégia de API para desenvolver uma plataforma digital e criar conjuntamente novas experiências com um ecossistema mais amplo de desenvolvedores e parceiros.

“O HSBC está impulsionando inovações incríveis na era do sistema bancário aberto por meio da conectividade baseada em APIs”, disse Dinesh Keswani, CTO do grupo e CIO de serviços bancários digitais de varejo do HSBC. “Estamos mudando para atender clientes em vários canais online e offline. Com o MuleSoft, o HSBC criou milhares de APIs em uma rede de aplicativos e as implantou em vários ambientes para oferecer experiências novas e consistentes. Conseguimos reduzir em 75% o tempo de desenvolvimento de aplicativos e liberar novas funcionalidades para os consumidores a cada duas semanas, em vez de uma vez a cada trimestre”.

Construindo uma plataforma bancária digital
O HSBC percebeu que o banco do futuro será uma plataforma digital alimentada por uma coleção de APIs que permitem experiências multicanais verdadeiramente conectadas. O banco escolheu a MuleSoft e sua abordagem baseada em APIs para conectividade para desenvolver uma plataforma de serviços compartilhados visando uma reutilização segura de ativos e o autoatendimento comercial. O HSBC conseguiu transformar em APIs seus principais produtos bancários, incluindo cartões de crédito, hipotecas e pagamentos, em uma rede de aplicativos que pode ser fácil e rapidamente montada para criar novas experiências.

Por exemplo, o HSBC pode extrair dados de sistemas legados usando APIs para habilitar novos recursos, como dar aos clientes uma visão geral de seus gastos em todas as suas contas bancárias.

Criando APIs com o MuleSoft, o HSBC pode desbloquear seus sistemas de back-end e conectá-los a terceiros confiáveis para desenvolver uma variedade de outros novos serviços voltados para o cliente. Ao permitir que um ecossistema de API inove em sua plataforma bancária central, o HSBC pode impulsionar velocidade, agilidade e inovação em escala para oferecer mais valor aos seus clientes.

Aproveitando a economia das APIs
Da mesma maneira que as APIs aceleraram a inovação interna, as APIs externas apresentam a oportunidade para o HSBC colaborar com parceiros e criar novos canais de receita. Nesta nova economia das APIs, os desenvolvedores são os novos clientes do HSBC e os portais de desenvolvedores são a nova loja de clientes. Para envolver e evangelizar suas APIs para desenvolvedores, o HSBC está aproveitando o API Community Manager desenvolvido no Salesforce Community Cloud e no Salesforce Service Cloud para fornecer um portal de desenvolvedores internos e externos que abrangerá mais de 30 mercados e três empresas globais.

O API Community Manager combina de maneira única um portal de APIs com todos os recursos e capacidades de experiência digital líderes do setor, transformando a maneira como as equipes colaboram em todo o ciclo de vida de um programa de API. Com o API Community Manager, o HSBC pode criar e envolver facilmente ecossistemas de API para promover novas parcerias, possibilitando oferecer valor comercial conjunto e inovar mais rapidamente. Por exemplo, a API de hipotecas do HSBC pode ser aplicada a sites de compra de residências, para que os consumidores possam filtrar os imóveis para os quais estão pré-aprovados.

“Com a MuleSoft dando suporte ao nosso programa de API, o HSBC lidera a inovação em um ecossistema de terceiros altamente competitivo, orientado a desenvolvedores”, disse Keswani. “Usando a Anypoint Platform, podemos nos integrar facilmente a novos aplicativos internos e externos e criar novos recursos digitais que proporcionem experiências personalizadas”.

Leia mais ...

Gartner anuncia as 10 principais tendências de tecnologia para governos

Os Chief Information Officers (CIOs) do Governo devem incluir essas tendências em seus planejamentos estratégicos nos próximos 12 ou 18 meses.

O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas, apresenta as 10 principais tendências de tecnologia para o segmento de Governo em 2020, com soluções de alto potencial para otimizar ou transformar serviços públicos. Os Chief Information Officers (CIOs) do Governo devem incluir essas tendências em seus planejamentos estratégicos nos próximos 12 ou 18 meses.

As dez principais tendências estratégicas de tecnologia do Gartner para as ações de governo foram selecionadas em resposta a metas urgentes e necessidades de negócios de organizações governamentais em todo o mundo. Elas se encaixam em um conjunto mais amplo de macrotendências que exigem a atenção dos líderes governamentais de hoje, incluindo instabilidade social, austeridade perpétua, envelhecimento da população, crescente populismo e a necessidade de apoiar metas de sustentabilidade.

"Agora, mais do que nunca, as prioridades tecnológicas devem ser estabelecidas no contexto de tendências de negócios como equidade digital, ética e privacidade, ampliando abismos geracionais e a necessidade de agilidade institucional", diz Rick Howard, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner.

“Os líderes do setor público esperam que os CIOs governamentais encontrem maneiras de a tecnologia reduzir custos, criar eficiências e melhorar os resultados para cidadãos e empresas. Eles também esperam que os CIOs considerem as tendências sociais, tecnológicas, econômicas, ambientais e políticas que afetam os componentes a que servem”, diz o analista.

Em uma sociedade digital, autoridades governamentais prospectivas devem saber que a tecnologia faz parte da política atual. “Qualquer serviço governamental entregue em escala é sustentado por uma série de tecnologias. Se o sucesso desses projetos for comprometido pela má-implementação dos recursos de TI, os objetivos políticos também serão comprometidos”.

A lista de tendências estratégicas foi projetada para ajudar os CIOs do governo a estabelecerem a lógica, o timing e a prioridade dos investimentos em tecnologia. Elas não representam quais são as ações nas quais os CIOs de governo estão gastando a maior parte de seu tempo ou orçamento hoje. As tendências variarão em importância, dependendo do nível de governo (nacional, regional ou local), região e contexto comercial. É por esse motivo que eles não são classificados em ordem numérica.

Os CIOs podem usar essas tendências para envolver os grupos interessados e envolvidos em suas ações, desmistificar conceitos e promover discussões sobre seu valor para os cidadãos e a sociedade.

Segurança adaptativa - Uma abordagem de segurança adaptativa trata risco, confiança e segurança como um processo contínuo e adaptável, com proposta dedicada a antecipar e mitigar ameaças cibernéticas em constante evolução. Esse modelo reconhece que não há proteção perfeita e a segurança precisa ser adaptável, em todos os lugares, o tempo todo.

 Identidade digital do cidadão - Identidade digital é a capacidade de provar a identidade de um indivíduo por meio de qualquer canal digital do governo que esteja disponível para os cidadãos. É fundamental prover e ampliar a inclusão e o acesso dos cidadãos aos serviços públicos, ainda que muitas administrações estejam demorando a adotar essas inovações em suas operações. Os CIOs de governo são aconselhados a fornecer rapidamente identidades digitais que respeitem os imperativos de segurança e as expectativas dos cidadãos.

 Engajamento do cidadão multicanal - Os governos que atendem aos cidadãos de acordo com seus próprios termos e por meio de seus canais preferidos, como pessoalmente, por telefone, via dispositivo móvel, por meio de assistentes inteligentes, chatbots ou Realidade Aumentada, atenderão às expectativas dos cidadãos e alcançarão os resultados do programa. De acordo com uma pesquisa de 2018, mais de 50% do tráfego dos sites de governo em todo o mundo agora vem de dispositivos móveis.

 Design Ágil - O governo digital não é um investimento "faça e esqueça". Os CIOs devem criar um ambiente ágil e responsivo, adotando uma abordagem de design de projetos ágil, com o conjunto de princípios e práticas usadas para desenvolver sistemas e soluções mais ágeis que afetam os estados atuais e de destino dos negócios, da arquitetura técnica e das informações.

 Gerenciamento Digital de Produtos – De acordo com a pesquisa CIOs Agenda 2019, do Gartner, mais de dois terços dos CIOs de governo disseram que já possuem ou planejam implementar o gerenciamento de produtos digitais (DPM). Muitas vezes, substituindo uma abordagem de gerenciamento de projetos em "cascata", que tem um histórico ruim de sucesso, o DPM envolve o desenvolvimento, a entrega, o monitoramento, o refinamento e a desativação de "produtos" ou ofertas para usuários de negócios ou cidadãos. Faz com que as organizações pensem de maneira diferente e produz resultados tangíveis com mais rapidez e sustentabilidade.

 Tudo como serviço (XaaS) - O modelo XaaS abrange toda a gama de serviços de TI entregues em Nuvem por assinatura. A Pesquisa 2019 de CIOs do Gartner constatou que 39% das organizações governamentais planejam gastar a maior quantidade de financiamento novo ou adicional em serviços em nuvem. O modelo XaaS oferece uma alternativa à modernização da infraestrutura herdada, fornece escalabilidade e reduz o tempo para fornecer serviços governamentais digitais.

 Serviços Compartilhados 2.0 - Muitas organizações governamentais tentaram aumentar a eficiência de TI através da centralização ou compartilhamento de serviços, geralmente com resultados ruins. Os serviços compartilhados 2.0 mudam o foco da economia de custos para o fornecimento de recursos de negócios de alto valor, como segurança corporativa, gerenciamento de identidades, plataformas ou análises de negócios.

 Força de trabalho digitalmente capacitada - Um ambiente de trabalho digitalmente preparado está vinculado à satisfação, retenção e engajamento dos funcionários - mas atualmente o governo está atrasado em outros setores dessa área. Uma força de trabalho de equipes autogerenciadas precisa de treinamento, tecnologia e autonomia para trabalhar em iniciativas de transformação digital.

Analytics em todo o lado - O Gartner refere-se ao uso generalizado de ferramentas de Analytics em todas as etapas da atividade comercial e da prestação de serviços como analítica em qualquer lugar. Ele muda as agências governamentais do relatório do painel de indicadores atrasados ​​para processos autônomos que ajudam as pessoas a tomar melhores decisões em tempo real.

 Inteligência Aumentada - O Gartner recomenda que os CIOs de governo reformulem a Inteligência Artificial como "Inteligência Aumentada", um modelo de parceria centrado no homem e inteligência artificial trabalhando em conjunto para aprimorar o desempenho cognitivo.

 Para discutir o tema e apresentar dicas sobre como aplicar este processo, os analistas do Gartner apresentarão pesquisas e novidades durante o Gartner IT Symposium/Xpo™ 2019, principal evento do Gartner no Brasil, que acontecerá de 28 a 31 de outubro. Trata-se do mais importante encontro de CIOs e executivos de TI do mundo. Líderes da área confiam em eventos como esses para obter insights sobre como suas organizações podem usar TI para superar desafios de negócios e melhorar a eficiência operacional de suas empresas. Acompanhe novidades sobre os eventos no Twitter: #GartnerSYM.

As inscrições para o Gartner IT Symposium/Xpo™ 2019 podem ser feitas pelos telefones (11) 5632-3109, 0800-7741440, e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou diretamente no site www.gartner.com/br/symposium.

 

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes