Menu

CPQD propõe a criação de um laboratório de referência em 5G no Brasil

Um dos objetivos principais dessa proposta é atender requisitos definidos pelo governo referentes à segurança cibernética das novas redes 5G

A tecnologia 5G está sendo considerada estratégica na transformação digital de diversos setores da economia e da sociedade, com potencial para gerar um forte crescimento econômico global. Por outro lado, esse caráter estratégico tem despertado preocupação, em vários países, em relação à segurança cibernética das redes 5G. E esse é, justamente, o foco da contribuição apresentada pelo CPQD à consulta pública n.º 9 da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), encerrada na sexta-feira, 17/04.

A proposta é criar no país um laboratório nacional de referência em 5G, multiusuário e com capacidade de realizar auditoria da segurança cibernética de equipamentos e soluções destinados às redes de telecomunicações brasileiras. Os recursos para a construção da infraestrutura poderiam ser captados com o leilão de espectro para o 5G, a ser conduzido pela Anatel, seguindo exemplo de proposta feita no Senado dos Estados Unidos - que prevê a destinação de até 5% dos recursos obtidos com licitações de espectro para a pesquisa e desenvolvimento de tecnologias 5G e iniciativas de segurança cibernética voltadas a essas redes.

“Um dos objetivos principais da nossa proposta é atender aos requisitos definidos pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República referentes à segurança cibernética das novas redes 5G”, explica Gustavo Correa Lima, líder da Plataforma de Comunicações Sem Fio do CPQD. “É fundamental que o Brasil tenha um laboratório nacional com infraestrutura compatível com essas necessidades e com os requisitos a serem estabelecidos pelo GSI e pela Anatel”, acrescenta.


Por ser multiusuário e dotado de uma infraestrutura completa de rede 5G, com soluções de fornecedores que atuam no mercado brasileiro, esse laboratório poderá ser utilizado também para a realização de testes de interoperabilidade entre equipamentos e soluções de diferentes fabricantes. E ainda poderá fomentar o desenvolvimento de aplicações 5G no Brasil, ao oferecer um ambiente real para provas de conceito e validação de soluções em áreas relevantes para a sociedade e o país, como saúde, educação, cidades inteligentes, indústria e agronegócio, entre outras.


Para as operadoras, a possibilidade de homologação de aplicações em uma infraestrutura comum trará racionalização de esforços. Além disso, a integração de seus laboratórios a essa infraestrutura permitirá exercitar cenários de incidentes de segurança e até contribuir para a análise de incidentes reais.

A proposta do CPQD sugere ainda a integração do laboratório nacional de referência em 5G à Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), de modo a permitir o acesso das instituições de pesquisa, desenvolvimento e inovação do país a uma rede 5G real para a realização de experimentos e provas de conceito.

De acordo com a proposta, a gestão do novo laboratório seria compartilhada entre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Anatel e o GSI, que integrariam o Conselho Gestor - outros atores formariam o Conselho Consultivo. 




 

Leia mais ...

Embratel lança solução VPNaaS para facilitar acesso remoto a dados e sistemas das empresas

Nova oferta proporciona segurança para companhias com equipes em home office durante a quarentena por causa do coronavírus

 

A Embratel anuncia o lançamento da VPNaaS Embratel powered by Fortinet, solução que permite acesso remoto às informações e aos sistemas corporativos para empresas que estão trabalhando com suas equipes em home office durante a quarentena por causa do coronavírus. O acesso pode ser feito a partir de diversos locais e dispositivos, flexibilizando o trabalho dos colaboradores. A oferta também é indicada para companhias com pretensão de adotar esse regime de trabalho em outras ocasiões.

Com o avanço da pandemia, empresas de portes e segmentos diversos notaram a necessidade de adotar soluções digitais para manter os seus negócios ativos. “O mercado atravessa uma nova fase. O coronavírus acelerou o processo de digitalização das empresas, pois o trabalho remoto se tornou ainda mais importante”, explica Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel. Na visão do executivo, o home office deixa de ser uma tendência para se tornar uma real alternativa para as companhias mesmo após a pandemia.

Com a solução VPNaaS Embratel powered by Fortinet, a Embratel oferece toda a estrutura necessária para que os trabalhos sigam como se os colaboradores estivem nos escritórios. A solução fornece um acesso criptografado na Internet permitindo conexão com um servidor dentro da rede do cliente. Ao receber um IP da rede interna, o colaborador passa a acessar os recursos autorizados. 

O momento emergencial como o atual exige atuação rápida das empresas. Um dos principais diferenciais da VPNaaS Embratel é a possibilidade de acessar os dados e sistemas via portal com protocolo de segurança SSL, sem a necessidade de instalar um agente na máquina de cada colaborador.

A instalação de uma VPN com suporte de até 1.000 usuários é feita em uma máquina virtual no cliente, agilizando a implementação da solução. A Embratel fica responsável, também, pela configuração e integração com a base de usuários para liberação de todos os acessos necessários. Caso a empresa prefira, também há a opção de instalar um agente no dispositivo de cada colaborador. 

Aumento dos crimes cibernéticos

Outro fator importante considerado no desenvolvimento da VPNaaS Embratel é o aumento de crimes cibernéticos causado pela ampliação dos trabalhos remotos, que podem resultar no roubo de informações confidenciais, com perdas financeiras e de reputação. A Embratel desenvolveu a solução considerando esse cenário e incluiu a segurança cibernética necessária para mitigar riscos de ataques.

“A experiência da Embratel com soluções digitais, aliada à tecnologia da Fortinet, promove a segurança com a qual os clientes já estão acostumados no ambiente empresarial, agora se estendendo às residências de seus funcionários e proporcionando produtividade remota e segura”, afirma Frederico Tostes, Country Manager da Fortinet Brasil, desenvolvedora de soluções de cibersegurança, parceira da Embratel nessa solução.

O executivo explica que a proteção integrada, que engloba desde a segurança do dispositivo do usuário até o uso de uma rede virtual privada (VPN) com duplo fator de autenticação, é a opção mais indicada para manter informações e sistemas seguros neste cenário.

Para apoiar os clientes nessa transição necessária, especialmente nesse momento de contingência em razão do coronavírus, a Embratel está ofertando a solução com instalação grátis, desconto e sem fidelidade nos três primeiros meses.

Mais informações sobe a VPNaaS Embratel estão disponíveis no site https://www.embratel.com.br/vpnaas.

 

Leia mais ...

TIM estende trabalho remoto aos colaboradores do Centro de Gestão de Rede

Ferramenta TIM Cloud UC faz parte do portfólio da operadora para clientes corporativos e viabilizou transição rápida e imperceptível para modelo home office de 500 operadores

Uma solução inovadora desenvolvida pela própria TIM viabiliza o trabalho em sistema de home office para cerca de 500 técnicos e engenheiros do Centro de Operação Remota de Rede e Serviços, o iSOC. Em apenas três dias, os colaboradores responsáveis pela instalação e manutenção da rede 4G da operadora e do Centro de Operações da Rede Fixa (COP) passaram a realizar suas funções remotamente, mantendo a mesma qualidade do serviço e do atendimento.

A medida foi realizada após a TIM decretar a ampliação do plano de home office, adotando a modalidade em âmbito nacional em decorrência da pandemia da COVID-19. O TIM Cloud UC viabilizou essa operação nos centros de monitoramento, garantindo acesso seguro para a manutenção da rede. A solução de comunicação e colaboração está no portfólio de serviços para clientes corporativos da operadora e disponibiliza recursos complementares às funções de PABX.

"Conseguimos colocar o projeto em funcionamento em tempo recorde. A transformação de uma estrutura desta magnitude em 100% digital levaria normalmente de 15 a 30 dias para ser instalada e habilitada para uso dos nossos colaboradores. As equipes de TI da TIM trabalharam com agilidade e inteligência, amparadas por soluções inovadoras que temos dentro de casa, para fazer com que esse processo de transição fosse imperceptível para nossos clientes. Assim, conseguimos garantir a segurança das nossas equipes e ajudar de forma indireta a sociedade mantendo a qualidade de um serviço essencial neste momento: a conectividade", afirma Leonardo Capdeville, CTIO da TIM Brasil.

Todas as funções realizadas nos três centros físicos de gerência de rede da operadora no Rio de Janeiro (Gamboa) e em São Paulo (Lapa e Santo André) foram virtualizadas. O projeto demandou a criação de uma solução dentro da plataforma de PABX existente, em um ambiente virtual, permitindo o acesso dos profissionais por meio de computadores e smartphones. Os ramais de atendimento aos técnicos de campo da operadora também foram redirecionados transferindo toda a árvore de telefonia da companhia para 280 ramais virtuais.

"O TIM Cloud UC faz parte de nosso portfólio de soluções para clientes corporativos desde 2018, oferecendo, em uma única plataforma, opções de comunicação integrada, com áudio e videoconferência, mensagem instantânea, compartilhamento de arquivos e telefonia fixa, entre outras funcionalidades baseadas na nuvem que são essenciais para a continuidade do negócio das empresas. Neste momento em que vária empresas estão adotando a prática de home office, tem se mostrado uma ferramenta especialmente útil", explica Paulo Humberto Gouvêa, diretor Corporate Solutions da TIM Brasil.

 

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes