Menu

Embratel lança serviço de Inteligência Artificial

Nova oferta é voltada para companhias de segmentos e portes variados que lidam com grande volume de dados e de interações com o público

 

A Embratel anuncia o lançamento da sua solução de Inteligência Artificial (IA), um serviço que abrange diversas tecnologias capazes de aprender e desempenhar comportamentos que se assemelham à inteligência humana, para ajudar nos mais diversos desafios empresariais. A oferta é uma alternativa para companhias de segmentos e portes variados que lidam com grande volume de dados e de interações com o público.

“A Inteligência Artificial Embratel busca usar a alta capacidade de aprendizado e performance de máquinas para consumir dados e, com base neles, gerar insights aos negócios de nossos clientes”, explica Mário Rachid, diretor executivo de Soluções Digitais da Embratel. Ele ressalta que a oferta contribui com o desempenho operacional dos funcionários das empresas, pois atua em atividades antes obrigatoriamente desempenhadas por humanos.

Estimativas indicam que o número de organizações que implantaram Inteligência Artificial dentro de suas operações entre 2018 e 2019 cresceu de 4% para 14%. Considerando os inúmeros benefícios trazidos pela Inteligência Artificial e pelo Machine Learning, além das necessidades atuais do mercado por atendimentos mais rápidos e automatização, a tendência é que a adoção continue em evolução.

A implantação do serviço Inteligência Artificial Embratel ocorre em três etapas. Na primeira fase, uma equipe especializada da Embratel realiza uma análise para compreender quais as necessidades do cliente, buscando sugerir a melhor abordagem de Inteligência Artificial para o seu negócio. Identificado o cenário e definida a estratégia, o time mapeia todos os dados de que o cliente dispõe, como eles estão armazenados e a forma como essa base é aumentada a cada dia.

Em seguida, a solução de IA definida para o projeto é codificada pela equipe de desenvolvimento da Embratel. Após a codificação, um treinamento é feito expondo o sistema a uma quantidade elevada de informações para que demonstre seu comportamento inteligente. As respostas fornecidas pela máquina são, então, avaliadas por especialistas e, quando necessário, corrigidas. Dessa forma, o sistema consegue aprender os comportamentos a serem seguidos, de acordo com os resultados de cada interação.

Na terceira etapa, o sistema já em funcionamento é acompanhado pela equipe Embratel para que as decisões tomadas automaticamente sejam avaliadas. Neste momento, quando houver comportamento incorreto ou quando forem necessárias novas informações que complementem a base de conhecimento do sistema, o time poderá intervir para aprimorar a tecnologia. Ao longo do tempo, o sistema se torna cada vez mais capaz e inteligente, até chegar ao nível de atuação desejado pelo cliente.

Diversas possibilidades de aplicação

Graças às habilidades cognitivas da tecnologia, que permitem o aprendizado por meio da observação de escolhas e correlação de eventos para identificar a lógica por trás das decisões, o sistema pode ser empregado para necessidades diversas – como chatbots e aplicativos de rotas, exemplos bastante conhecidos. Inteligência Artificial também pode ser usada no monitoramento de atividades online para segmentação de público e na análise de tentativas de fraude em dados transacionais, ajudando a impedir a ação, entre outros fins.  A tecnologia auxilia na tomada de decisão mesmo quando não está programada explicitamente para isso, pois observa e aprende com as escolhas e eventos ocorridos no sistema.

“A Inteligência Artificial da Embratel reúne as melhores e mais eficazes práticas tecnológicas para colaborar com diversos segmentos de mercado, desde instituições financeiras até a indústria”, analisa Mário Rachid. Outros segmentos que podem ser atendidos pela oferta incluem seguradoras, varejo e saúde, por exemplo, ajudando a criar uma melhor experiência ao cliente final e a gerar novas receitas, com a identificação de oportunidades de criação de novos produtos e serviços.

 

Leia mais ...

SAS é apontado pela IDC como líder em soluções de Inteligência Artificial

Solução Viya foi reconhecida como importante plataforma para as empresas automatizarem processos e elevarem a produtividade dos funcionários

 

O SAS, provedor global de soluções de analytics, foi posicionado na categoria dos líderes no IDC MarketScape: Worldwide General-Purpose Artificial Intelligence Software Platforms 2019 Vendor Assessment da IDC, consultoria de inteligência de mercado nas indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. Foi a primeira vez que a empresa de pesquisas avaliou os principais fornecedores em soluções de Inteligência Artificial (IA).

Os critérios usados incluem receita, participação de mercado, estratégia e habilidades específicas nesse segmento. O estudo avaliou um total de 10 fornecedores no mercado de plataformas de software de IA. A consultoria destacou ainda a relevância do uso da solução pelas empresas para aumentar a produtividade dos funcionários e para promover automação de processos.

Sobre a solução Viya, o IDC MarketScape aponta que a interface visual da plataforma do SAS torna mais fácil para os usuários não especializados em ciência de dados trabalharem, fazerem o gerenciamento e desenvolverem modelos de Inteligência Artificial e de Machine Learning.

Outros pontos destacados no estudo foram que 46% dos participantes que usam SAS Viya escolheram a plataforma pelo baixo custo, e que 61% desses usuários estavam implementando as aplicações de IA do SAS na nuvem.

"É sempre motivo de orgulho estar posicionado como líder em um relatório como esse, e o reconhecimento é prova de que o SAS domina os mercados tanto de Analytics quanto de Inteligência Artificial", afirma Cassio Pantaleoni, presidente do SAS Brasil.

Leia mais ...

Stefanini utiliza Inteligência Artificial para orientar colaboradores sobre a prevenção ao coronavírus

Plataforma Sophie é treinada para informar sobre os sintomas, como agir em caso de viagens agendadas e eventos programados

 

Enquanto autoridades e entidades médicas trabalham mundialmente para barrar a propagação do novo coronavírus, as empresas buscam formas de conciliar suas atividades com ações que estimulem a prevenção e a segurança de seus funcionários. Na Stefanini, multinacional brasileira desenvolvedora de soluções digitais, a sua plataforma de Inteligência Artificial Sophie está sendo utilizada para informar os colaboradores sobre o COVID-19, principais sintomas, como as pessoas devem se prevenir e como a companhia está atuando neste momento de cautela.

Na semana passada, a plataforma de inteligência cognitiva foi treinada pela equipe de Pesquisa e Desenvolvimento da Stefanini para responder via chat, pelo canal Stefanini Atende, as principais dúvidas sobre o tema no Brasil. “Estamos priorizando 100% a comunicação, transmitindo tranquilidade e confiança para superarmos este novo desafio”, afirma Marco Stefanini, CEO Global do Grupo Stefanini.

A multinacional conta com um plano de contingência global – a empresa está presente em 41 países -, que é adaptado de acordo com a situação enfrentada em cada região: Brasil, Latam, Estados Unidos, Ásia e EMEA. “Temos um Comitê de Gestão em cada região, encarregado de seguir os protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS) e de definir planos de contingência em conjunto com os clientes para minimizar os impactos nas operações”, explica Rodrigo Pádua, VP Global de Gente e Cultura da Stefanini.

O trabalho remoto é recomendado para aqueles que tenham algum sintoma aparente ou que pertençam a grupos de maior preocupação, como gestantes, pessoas com mais de 60 anos ou que tenham baixa imunidade. “Como o cenário está mudando rapidamente, avaliaremos a situação dia a dia para tomarmos medidas que priorizem a saúde dos nossos funcionários e de seus familiares”, comenta Pádua.

Atualmente, as viagens internacionais para Europa, Ásia e EUA estão canceladas. Para América Latina e Brasil, as viagens foram restringidas, mantendo a orientação de priorizar as reuniões virtuais. A estimativa é de que 70% a 80% de todas as reuniões da companhia deixem de ser presenciais nas próximas semanas.

Sophie no RH

Projetada com um conjunto original e premiado de algoritmos de Inteligência Artificial, a plataforma substitui o atendimento humano baseada em scripts por automação, e faz isso de maneira cada vez mais sofisticada, com investimentos ambiciosos em processamento de voz e autoaprendizado. O objetivo é permitir velocidade e eficiência cada vez maiores na implantação e gestão da plataforma.

Desde o segundo semestre do ano passado, a tecnologia está sendo utilizada no RH da Stefanini para substituir a tradicional abertura de chamadas pela interação por meio de chatbot e, consequentemente, melhorar a experiência dos colaboradores.

Experiência híbrida de atendimento digital, a Sophie atende em média 1.625 chamadas por mês no Brasil, o que corresponde a 35% do total, sendo 65% solucionados pela plataforma de IA.

Um dos principais diferenciais da solução é o uso de tecnologia própria. “Nós controlamos o núcleo, o ‘cérebro’ da Sophie, o que torna a ferramenta mais rápida de treinar e mais de simples de manter”, completa o diretor de P&D da Stefanini, Alex Winetzki.

 

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes