Menu

Cartão de débito tem baixa penetração como meio de pagamento

A modalidade representa apenas 6,5% das operações on-line realizadas no Brasil

A Mastercard informa que passou a adotar padrões internacionais de autenticação, como o EMV 3DS e a tokenização, para aumentar a segurança nas transações de débito on-line.
De acordo com a empresa, essas tecnologias adicionam camadas de segurança que buscam elevar a taxa de aprovação da compra on-line para o nível dos pagamentos presenciais.
A avaliação é de que a medida evita ataques de cibercriminosos e garante uma experiência de compra mais segura e conveniente para o consumidor.
O EMV eDS, por exemplo, promete revolucionar o comércio eletrônico ao aumentar as taxas de aprovação das compras on-line com cartão de crédito e débito.
A adoção dessas tecnologias faz parte do plano Digital Security Roadmap, desenvolvido pela Mastercard para garantir um ambiente on-line tão seguro quanto o físico.
E foi motivada pela baixa penetração do cartão de débito como meio de pagamento. Citando dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), a Mastercard revela que o cartão de débito representa apenas 6,5% das operações de pagamento de compras on-line.
Um dos fatores que contribuem para esse baixo número é o desconhecimento do usuário sobre o uso do débito no ambiente on-line. Por outro lado, muitos têm receio de incluir um cartão vinculado à sua conta corrente.
O esforço da indústria de meios de pagamento é para que cartão de débito on-line seja tão seguro quanto o crédito.
O cartão de débito traz beneficia o comprador e é muito conveniente ao lojista: ao aceitar essa modalidade de pagamento em sua plataforma de vendas, a Mastercard estima que o estabelecimento aumente, em média, 18% o volume de transações do que aceitando apenas a função crédito.
Em alguns casos, esse valor pode chegar até 30% de volume extra. Isso porque mais de 38 milhões de pessoas possuem apenas cartão de débito e cerca de 20 milhões possuem cartões múltiplos em que o crédito não está ativo.
Por isso, a ampla utilização do débito on-line permitirá que mais de 58 milhões de cartões tenham a possibilidade de realizar compras no ambiente digital.

Leia mais ...

Banco do Brasil e Visa facilitam compras online com cartão de débito

Clientes Ourocard já podem realizar as transações nos sites da Casas Bahia, Pontofrio e Extra 

 

O Banco do Brasil anuncia que seus clientes já podem contar com mais facilidade e segurança nas transações a débito pela Internet. Conforme divulgação recente da Via Varejo, a autenticação de compras online foi simplificada e melhorada pela tecnologia 3DS 2.0, adotada com apoio da Visa. 

Assim, os clientes Ourocard podem realizar compras via débito nos sites da Casas Bahia, Pontofrio e Extra, via desktop. A solução tem como objetivo permitir a aquisição de bens no ambiente virtual por clientes que só possuem a função débito no cartão, além de fortalecer o e-commerce em tempos de distanciamento social, diminuindo assim a circulação de papel moeda. 

Antes, o cliente que optasse pela forma de cobrança no débito era redirecionado para a página do banco emissor do cartão, o que dificultava a conclusão da compra. Enquanto isso, a autenticação e a autorização ocorriam simultaneamente, no mesmo fluxo da transação. Sendo assim, caso a autenticação falhasse, perdia-se a transação. 

Agora, um “pop-up” aparece na página e possibilita a finalização da compra no mesmo ambiente, sem sair do site, melhorando a experiência do cliente e gerando mais segurança ao processo. E as validações foram separadas, no sentido de evitar a perda do processo de compra e venda, caso a autenticação não seja confirmada. 

Para o diretor de Meios de Pagamentos do Banco do Brasil, Edson Costa, com as pessoas em casa neste momento, os cartões de crédito e débito são fundamentais para viabilizar compras online e evitar a movimentação de cédulas, que expõe ainda mais as pessoas ao vírus. 

"Estamos sempre atentos para oferecer soluções digitais que ofereçam mais conveniência e segurança para nossos clientes. Esta solução é também importante para permitir que as pessoas que não têm cartão de crédito tenham acesso ao e-commerce e suas vantagens, com segurança”, completa. 

“A adoção do 3 DS 2.0 nos sites da Via Varejo é um grande passo para que tenhamos um ambiente de compras virtual mais seguro e para oferecer uma experiência de pagamento mais fluida para os portadores do cartão Ourocard Visa. O novo protocolo é mais moderno, mobile friendly e inclusivo”, afirma Adriana Umeda, diretora de Risco da Visa do Brasil. 

 

Leia mais ...

Fintech JoinKey lança app para gerenciar operações com cartões

Solução facilita a consolidação e a conciliação de pagamentos com cartão, avaliando se o processamento está sendo feito corretamente pelas adquirentes

 

A Joinkey, fintech criada para auxiliar os estabelecimentos comerciais na gestão e controle de vendas e recebíveis, chega ao mercado com investimento próprio e aporte na primeira rodada de investimentos realizada pela PagoLivre, empresa há mais de quatro anos no mercado nacional, especializada em pagamentos recorrentes.

“Identificamos sinergia entre ambas as empresas e vamos apoiar a Joinkey com mentorias específicas, aporte financeiro, processamento de pagamentos, compartilhamento das áreas corporativas e carteira de clientes, elevando sua capacidade operacional e comercial", explica Arthur Accioly, fundador da PagoLivre.

No primeiro ano, a Joinkey projeta alcançar mais de 100 mil clientes ativos com meta de faturamento de R$ 1 milhão por mês. Além disso, a perspectiva é triplicar esses números e atingir todas as regiões do país já no segundo ano.

A solução consolida de forma sintética e analítica as principais maquininhas, aplicativos de deliveries e carteiras digitais do mercado, tais como BIN, Cielo, Getnet, Pagolivre, Pagseguro, Rede, Stone, iFood, PicPay, entre outras.

Além disso, também disponibiliza diversas funcionalidades como um consultor digital que orienta e indica as melhores taxas, rankings das maquininhas, gráficos e análise do consumidor, verificando se tudo que é vendido está sendo processado corretamente pelas adquirentes.

“A dificuldade dos estabelecimentos é justamente consolidar e conciliar os recebimentos de várias maquininhas e ainda conferir o depósito de suas vendas. A Joinkey ajuda neste processo de uma forma simples, rápida e prática, disponibilizando gráficos e notificando os nossos clientes de qualquer desvio de processamento,”, explica Claudio Dias, CEO e cofundador da Joinkey.

Análise apoia-se em algoritmo próprio

A Joinkey facilita  a análise das operações de pagamentos com cartões de crédito e débito utilizando um algoritmo próprio. Essa iniciativa surgiu por demanda de um mercado que, segundo a ABECS, associação que representa o setor de meios eletrônicos de pagamento, transacionou R$ 1,84 trilhão por meio de cartões de crédito, débito e pré-pagos em 2019, o que representou um crescimento de 18,7% em relação ao ano de 2018.

Diferente dos apps e plataformas existentes, a Joinkey é a única que oferece seus serviços de maneira gratuita, inclusive a consultoria para contratação de taxas melhores para os estabelecimentos e todas as ferramentas para consolidar as contas de diferentes maquininhas com demonstração em tempo real das vendas e suas taxas.

A solução disponibiliza ainda uma análise completa do negócio, desde as vendas até a performance, com gráficos por bandeira, por tipo de pagamento, por taxas e comparativos de taxas. “Com a Joinkey é possível aferir de forma simples e rápida o valor e taxas processadas pelos adquirentes, verificando em tempo real se tudo está de acordo com as taxas contratadas, fazendo projeções futuras, entre outras facilidades”, explica Rafael Moris, CIO e cofundador da Joinkey.

Leia mais ...
Assinar este feed RSS

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes