Menu

Plataforma faz análises de processos trabalhistas

Caio Santos, CEO da Data Lawyer Caio Santos, CEO da Data Lawyer

DL Insights, da Data Lawyer, utiliza tecnologias de Big Data e de Inteligência Artificial

As starturps surgem em profusão no mercado brasileiro com a proposta de fornecer soluções inovadoras aos diversos ramos de negócios que planejam explorar. O setor jurídico tem atraído muito dessas empresas, conhecidas como lowtechs.

Uma delas, a Data Lawyer, iniciou suas operações no mercado em dezembro do ano a passado, a partir de uma spin-off da Aviso Urgente, com o objetivo de ser um hub de tecnologia com produtos voltados para gestão e análises de dados.

Estima-se em 200 o número de lowtechs ativas no país. “O mercado brasileiro é muito grande. Estamos falando de mais de 1,1 milhão de advogados e 81 milhões de processos ativos nos tribunais”, diz Caio Santos, CEO da Data Lawyer.

O que tem estimulado o surgimento de lowtechs é a necessidade de implementação de recursos tecnológicos para dar celeridade aos processos que tramitam no Judiciário, que são reconhecidamente morosos.

Foco da operação da Data Lawyer, os escritórios de advocacia são analógicos, burocráticos, lentos e ineficientes. “Nosso objetivo é levar mais inovação para esse mercado, que é conservador e necessita de mais informações e automações para poder ser mais célere”, afirma o executivo.

A Data Lawyer tem no seu portfólio de ofertas um sistema de gestão integrada (ERP) destinado aos pequenos e médios escritórios de advogacia.

A ferramenta faz a gestão de processos, o que inclui armazenamento, compromissos, prazos e a parte financeira do escritório, bem como o acompanhamento de publicações e monitoramento processual.

A gestão eficiente de um escritório de advocacia é uma grande desafio, diz Santos. “O problema é encontrado quando os gestores e colaboradores se perdem em compromissos cotidianos, fazendo com que a organização das atividades e a atenção voltada a elas não seja realizada”.

Por isso, complementa o executivo da Data Lawyer, repensar as atividades que atrasam os escritórios e compreender métodos de mudanças se torna essencial.

A lowtech lançou recentemente uma ferramenta de jurimetria, que tem como objetivo tornar o Direito mais orientado a dados. Denominada DL Insights, a plataforma utiliza recursos de Big Data e de Inteligência Artificial para analisar processos trabalhistas de todos os Estados a partir de 2014.

Por meio da análise contextual de todo o conteúdo dos processos, a inteligência desenvolvida pela Data Lawyer identifica os valores, decisões, assuntos, dentre outros pontos, e oferece para o usuário um panorama geral e parametrizado das ações.

Aplicado na Justiça Trabalhista, onde existem mais de 11 milhões de processos em análise, a plataforma DL Insights é destinado aos escritórios de advocacia de médio e grande porte.

Apesar do pouco tempo de operação no mercado, a Data Lawyer já conquistou bom número de clientes: 2.100 próprios e 3.600 da Aviso Urgente (com a qual mantém parceria) até o momento, mas essa base tende a crescer rapidamente.

A Data Lawyer tem um acordo com a seccional do Acre da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e conversas avançadas com outras seccionais da entidade (cujas localidades não foram reveladas) que podem elevar para 7 mil a base de clientes atendidos.

“No nosso planejamento estratégico definimos buscar parcerias com as instituições”, revela Santos. A sede da Data Lawyer está localizada em Goiânia (GO), mas a empresa abriu recentemente escritório no Rio de Janeiro e planeja montar em breve operação em São Paulo.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes