Internet das Coisas - Executivos Financeiros - Executivos Financeiros http://executivosfinanceiros.com.br Sat, 23 Mar 2019 14:36:27 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br TIVIT firma parceria com Microsoft para o fornecimento de soluções de IoT na nuvem Azure http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6432-tivit-firma-parceria-com-microsoft-para-o-fornecimento-de-solucoes-de-iot-na-nuvem-azure http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6432-tivit-firma-parceria-com-microsoft-para-o-fornecimento-de-solucoes-de-iot-na-nuvem-azure TIVIT firma parceria com Microsoft para o fornecimento de soluções de IoT na nuvem Azure

Com o acordo, empresa desenvolve aplicações para auxiliar no monitoramento de frota e gestão de pessoas em campo

A TIVIT, multinacional brasileira de soluções digitais, em parceria com a Microsoft, lança uma plataforma com tecnologia de IoT (Internet das Coisas), baseada na nuvem Azure, para o monitoramento de frotas, otimização de ambientes e gestão de equipes.

A solução de IoT da TIVIT é oferecida de ponta a ponta, desde a coleta de dados a partir de sensores em campo, até o transporte para a plataforma. Posteriormente, a análise dos dados é realizada e extraída com base nas regras e objetivos de negócios, sendo totalmente customizada e relevante para a tomada de decisão do cliente. Ela pode ser aplicada em motos, carros de passeio, caminhões, máquinas e veículos especiais como cargas perecíveis, betoneiras e de utilities para reparos em postes.

"Desenvolvemos uma plataforma na nuvem Azure baseada em 70% de estrutura fixa e que pode ser replicada para outros clientes, mas que permite a customização dos outros 30%. Com isso, nossa equipe de especialistas faz a análise do cenário, identifica as necessidades e possibilidades dentro dos clientes e busca os melhores sensores e aplicações, os quais trarão eficiência para os negócios", destaca Norberto Tomasini, Head of Digital da TIVIT.

A tecnologia é desenvolvida para obter eficiência operacional, ou seja, redução de custos; aumento de produtividade; otimização de processos; equipes e uso dos veículos; padronização de atendimento, além da diminuição de acidentes e desvios de rotas. "Fazemos a customização de toda a solução de gestão de equipes de campo, como também a integração com ERPs e sistemas legados, Analytics, e a possibilidade de utilização de inteligência artificial. Além disso, é possível fazer análises preditivas com as informações extraídas do campo, o que pode trazer ainda mais eficiência para o negócio do cliente", enfatiza Norberto.

"A Microsoft enxerga uma grande oportunidade em Internet das Coisas, e parcerias como essa com a TIVIT são fundamentais para levarmos, por meio da nossa plataforma de nuvem Azure, ofertas que ajudem a transformar o negócio dos clientes com soluções conectadas e inteligentes", afirma Alessandra Karine, diretora de marketing e operações da Microsoft Brasil.

]]>
Internet das Coisas Fri, 22 Mar 2019 00:00:00 +0000
Atos é reconhecida líder global em Serviços de IoT pelo Everest Group http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6416-atos-e-reconhecida-lider-global-em-servicos-de-iot-pelo-everest-group http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6416-atos-e-reconhecida-lider-global-em-servicos-de-iot-pelo-everest-group Atos é reconhecida líder global em Serviços de IoT pelo Everest Group

Neste estudo, os líderes são identificados por terem um alto impacto no mercado, mix de portfólio e valor geral entregue no setor de IoT

A Atos, líder mundial em transformação digital, foi reconhecida como Líder global pelo Everest Group em seu mais recente relatório "Internet das Coisas (Avaliação de Serviços de IoT PEAK Matrix™) 2019". O reconhecimento avaliou os Serviços Atos Codex IoT, desenvolvidos internamente e por meio de parcerias com os principais provedores de tecnologia e startups do setor.

O portfólio de serviços inclui aceleradores para integração horizontal e vertical, por meio de cadeias de processos e níveis organizacionais, bem como serviços consultivos de transformação digital, concepção, implementação, integração, segurança e operação. O relatório avaliou o desempenho de 19 prestadores mundiais de serviços de TI que oferecem serviços de Internet das Coisas (IoT).

Neste estudo, os líderes são identificados por terem um alto impacto no mercado, mix de portfólio e valor geral entregue no setor de IoT. Além disso, são reconhecidas como líderes as empresas capazes de fornecer serviços de IoT com êxito, em relação à estratégia geral, ao escopo dos serviços prestados, ao grau de inovação e à área de cobertura das entregas. "À medida que as empresas ganham confiança na IoT e suas expectativas para provedores de serviços aumentam, ativos internos sólidos e um ecossistema de parceria robusto ajudaram a Atos a fornecer soluções inovadoras para seus clientes.

“A aquisição da Syntel não apenas melhorou a posição da Atos no mercado norte-americano, mas também adicionou recursos de experiência do cliente ao seu portfólio ", afirma Yugal Joshi, vice-presidente do Everest Group. Referindo-se à posição de liderança da Atos em serviços de IoT, Julien Bensaid, diretor Global do Atos Codex, declarou: "Temos orgulho do reconhecimento como líder global em serviços de IoT pelo Everest Group. Ao alcançar mais uma vez esse reconhecimento, demonstramos nossa credibilidade em relação à nossa capacidade de agregar valor em grandes e complexas implantações de IoT como um parceiro de confiança em todas as etapas da jornada. Nosso vasto ecossistema de parceiros de IoT está no centro da nossa abordagem para fornecer e gerenciar com sucesso toda a cadeia de valor de IoT, desde dispositivos conectados e computação de ponta até datacenters", disse Julien Bensaid.

As soluções de IoT da Atos estão integradas na solução global "Connected Cooler" da Coca-Cola Hellenic Bottling Company, que fornece informações sobre comportamento do consumidor e desempenho dos pontos de venda para melhoria na eficiência operacional e aumento de vendas. Além disso, recentemente, a Atos e a Siemens lançaram opções de nuvem privada para o sistema operacional de IoT baseado na solução da Siemens, MindSphere Cloud. Este sistema permite que os clientes implantem aplicativos de negócios digitais em uma infraestrutura de nuvem privada segura e gerenciada, que garante conformidade de dados, desempenho e a integração do ambiente de tecnologia. Para fazer o download do relatório, acesse: http://engage.atos.net/everest-iot-services.

 

]]>
Internet das Coisas Fri, 15 Mar 2019 00:00:00 +0000
American Tower do Brasil lança Centro de Experiência de IoT http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6326-american-tower-do-brasil-lanca-centro-de-experiencia-de-iot http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6326-american-tower-do-brasil-lanca-centro-de-experiencia-de-iot American Tower do Brasil lança Centro de Experiência de IoT

A iniciativa, uma parceria da ATC com a Everynet e BandTec Digital School, visa estimular a capacitação de novos profissionais para acelerar o ecossistema de Internet das Coisas no Brasil

A American Tower do Brasil apresenta no país o IoT Open Labs, Centro de Experiência e Desenvolvimento de Internet das Coisas (IoT), em parceria com a Everynet e a BandTec Digital School. O IoT Open Labs faz parte da estratégia da companhia em ampliar a sua atuação como um dos principais players de compartilhamento de infraestrutura no setor de telecomunicações no Brasil, explorando áreas que viabilizarão o crescimento mais rápido das soluções para Internet das Coisas.

A proposta do IoT Open Labs é ser um local onde empresas parceiras, clientes, desenvolvedores e estudantes poderão experimentar, interagir, testar e entender fim a fim as aplicações para Internet das Coisas funcionando em uma rede real. Várias aplicações estarão expostas e disponíveis na área de demonstração ("showcase"). "Vemos um potencial significativo de crescimento no país e acreditamos que podemos continuar a desempenhar um papel fundamental como parceiros na implementação de infraestrutura de telecomunicações. O Brasil é uma peça chave da estratégia global da ATC e um mercado crucial na América Latina", destaca Flavio Cardoso, Diretor Geral da American Tower no Brasil.

Por meio da parceria com a Everynet e a BandTec Digital School, espera-se que o Centro de Experiência seja um catalisador do ecossistema de aplicações para o desenvolvimento e implantação de aplicações para Internet das Coisas, fazendo uso de espaços dedicados ao desenvolvimento de aplicações, cursos de capacitação e especialização nas tecnologias de rede e aplicações para IoT.

"A ATC viabiliza o compartilhamento eficiente de infraestrutura de telecomunicações no país. Com o uso da nova rede LoRa, com tecnologia LPWAN, que fornece cobertura de longo alcance e de baixo custo, que será apresentada durante o IoT Open Labs, nós fomentamos ainda mais o desenvolvimento do ecossistema de IoT no Brasil", afirma Abel Camargo, Diretor Sênior de Estratégia e Novos Negócios da American Tower no Brasil.

A Everynet é o parceiro tecnológico escolhido pela American Tower responsável pelo desenvolvimento dos rádios e servidores LoRa. A BandTec Digital School é o parceiro que fornece a infraestrutura para o IoT Open Labs e o suporte acadêmico no desenvolvimento de soluções de IoT. "A união de infraestrutura, tecnologia e ensino, concedem características ímpares ao projeto que sustentará de forma eficiente o crescimento do ecossistema de Internet das Coisas no Brasil", acrescenta Camargo.

Sobre a nova rede IoT/LoRa

A American Tower está construindo uma infraestrutura de rede para Internet das Coisas na tecnologia LPWAN (Low Power Wide Area Network), com cobertura nacional e no padrão LoRa (Long Range), em frequência não licenciada (banda ISM, 900MHz). Trata-se de uma rede neutra destinada a usuários com perfil de atacado, que necessitam de uma infraestrutura de rede de baixo custo para suportar ou complementar suas soluções e aplicações de Internet das Coisas para clientes finais, ou para uso próprio em suas atividades empresariais. "Por meio desta iniciativa a ATC traz ao Brasil a primeira rede com abrangência LoRa da América Latina", ressalta o executivo

A tecnologia LPWAN permite implementação de aplicações com custos muito baixos de conectividade e sensores com baixo consumo de energia, cuja bateria pode durar mais de 5 anos dependendo da intensidade do uso. Entre as aplicações mais promissoras para essa tecnologia estão as aplicações para cidades inteligentes, medição remota de energia, água ou gás, rastreamento de ativos, agricultura e pecuária.

Entre os usuários possíveis dessa rede estão as empresas ou setores que necessitam somente da conectividade em grande quantidade (tipicamente centenas de milhares ou mais) para uso próprio, como por exemplo concessionárias distribuidoras de energia, água e gás. "A conectividade poderá ser comercializada tanto pelas próprias operadoras de telecomunicações - considerando que redes LPWAN podem ser utilizadas como complemento às suas redes celulares na oferta de soluções ou aplicações para seus clientes finais - como também por outros canais como integradores de soluções ou operadoras virtuais", lembra Camargo.

Desde o ano passado, a rede IoT/LoRa da American Tower está sendo implementado nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, cobrindo suas regiões metropolitanas, representando aproximadamente 24% do PIB. Desde o início do ano está em fase de testes com aplicações de parceiros estratégicos sendo implementadas e testadas em ambiente real. O objetivo é que a rede esteja funcionando em caráter comercial até o final do ano, com cobertura em mais de 80 cidades correspondendo a aproximadamente 50% do PIB brasileiro.

]]>
Internet das Coisas Sun, 29 Apr 2018 00:00:00 +0000
Gartner aponta alto impacto da IoT nas áreas de Data e Analytics http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6319-gartner-aponta-alto-impacto-da-iot-nas-areas-de-data-e-analytics http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6319-gartner-aponta-alto-impacto-da-iot-nas-areas-de-data-e-analytics Gartner aponta alto impacto da IoT nas áreas de Data e Analytics

Internet das Coisas forçará as organizações a rearquitetarem suas informações e suas capacidades de análise. Novas tecnologias e plataformas de gestão de dados terão de ser adotadas.

O Gartner alerta que bilhões de dispositivos conectados geram muitos acontecimentos e estão tensionando a capacidade das empresas em consumir, armazenar, processar e analisar dados. A Internet das Coisas (IoT) pressionará as organizações produzindo grandes volumes de dados, em alta velocidade e com uma variedade sem precedentes. Isso forçará as organizações a rearquitetarem suas informações e suas capacidades de análise, tendo que adotar novas tecnologias e plataformas de gerenciamento de dados e, também, criar novas políticas e práticas de governança.

Em 2019, um terço das soluções de IoT serão abandonadas antes mesmo da implantação devido à falta de gestão de dados e de capacidades analíticas para essa tecnologia. "Muitas capacidades de Data & Analytics existentes podem ser aplicadas às iniciativas de IoT e de seus dados, mas as organizações também precisam se modernizar em diversas áreas chave", explica Ted Friedman, Vice-Presidente e Analista Emérito do Gartner.

Para alavancar a gestão de dados e capacidades analíticas existentes no suporte de implantação de IoT, as novas e únicas características de soluções de Internet das Coisas vão pressionar vários aspectos da infraestrutura de gestão de dados tradicional e da análise tradicional e técnicas de BI (Business Intelligence). Líderes de IoT precisam ser proativos na identificação de lacunas e de fraquezas em suas inatividades logo no início. "Muitas das mesmas infraestruturas de gestão de dados e de tecnologias aplicadas a casos de uso mais tradicionais podem ser alavancadas de alguma forma para apoiar IoT", explica Friedman.

Estudo do Gartner mostra que, enquanto mais de um terço das empresas afirmam que usam ou planejam usar novos recursos de gestão de dados separados para apoiar IoT, 61% esperam alavancar e expandir a infraestrutura de gestão de dados existentes. Isso porque, provavelmente, muitas das mesmas ferramentas de infraestrutura de gerenciamento de dados e tecnologias aplicadas a casos de uso mais tradicionais podem ser aproveitadas de alguma forma para apoiar o uso de dispositivos inteligentes. Outras pesquisas sobre o tema serão apresentadas na Conferência Gartner Data e Analytics 2018, que ocorre nos dias 22 e 23 de maio, no WTC Sheraton Hotel, em São Paulo.

"No entanto, os líderes de Data e Analytics devem avaliar a adequação dos recursos existentes para lidar com os requisitos de escala e de distribuição da implantação específica de soluções de IoT, assim como os problemas exclusivos de governança de dados de IoT, avaliando se essas tecnologias podem fornecer o nível necessário", diz Friedman.

As soluções de IoT e os dados gerados representam uma mudança significativa nos requisitos para armazenagem e gestão de informações. A Internet das Coisas está gerando uma mudança significativa na direção de Hadoop e formas não relacionadas de persistência de dados permitem informações de alta velocidade e alto volume, além do consumo e armazenagem de fluxo de evento, com maior flexibilidade e eficiência de custo.

Apesar dos novos requisitos criados pelas soluções de IoT, a tecnologia de sistema de gestão de banco de dados relacional (DBMS) ainda possui um papel a desempenhar enquanto sua funcionalidade evolui, tendo sobreposição de recursos com tecnologia não relacional. Dependendo dos requisitos de solução, algumas organizações estão alavancando investimentos de DBMS existentes para apoiar IoT.

"Líderes de Data e Analytics devem avaliar a variedade de dados usados em suas arquiteturas de IoT para refinar os requisitos persistentes de dados e identificar utilização específica de DBMS, assim como os planos de modernização", pondera o analista do Gartner.

Também é importante avaliar tecnologias com potência na captura de fluxo, séries temporais e dados não estruturados, assim como aqueles apoiados via escalabilidade elástica de Cloud, pois esses requisitos serão comuns para os casos futuros de uso de IoT.

Governança de dados e segurança

A governança de dados é cada vez mais uma prioridade para as organizações, já que os dados se tornam centrais para modelos de negócios em todos os setores. A complexidade e distribuição de arquitetura das soluções de IoT apresenta uma "superfície de ataque" maior e mais atraente, aumentando os riscos de segurança.

Além disso, as soluções de IoT estão gerando, coletando, analisando e aplicando dados cada vez mais volumosos e altamente valiosos, o que apresenta risco para os negócios caso não sejam tratados de forma apropriada a partir de uma perspectiva de privacidade, retenção e qualidade.O levantamento do Gartner também mostrou que a segurança é o desafio de governança de dados mais significativo para as organizações que planejam adotar ou que estão implementando soluções de IoT.

"A natureza direcionada para o evento de dados em muitas implementações de IoT – fluxos constantes das mesmas leituras de sensores, por exemplo – significa que políticas típicas para retenção de dados – geralmente mantendo tudo armazenado – são menos eficazes. Por isso, uma filosofia diferente é necessária sobre quais dados manter e quais devem ser descartados", afirma Friedman.

]]>
Internet das Coisas Sun, 15 Apr 2018 00:00:00 +0000
Gartner: gastos globais com segurança na IoT atingirão US$ 1,5 bilhão em 2018 http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6304-gartner-gastos-globais-com-seguranca-na-iot-atingirao-us-15-bilhao-em-2018 http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6304-gartner-gastos-globais-com-seguranca-na-iot-atingirao-us-15-bilhao-em-2018 Gartner: gastos globais com segurança na IoT atingirão US$ 1,5 bilhão em 2018

Até 2021, consultoria prevê que a demanda por regulamentação irá se tornar a principal influenciadora na implementação de proteção na área

O Gartner alerta que os ataques com base em Internet das Coisas (IoT) já são uma realidade, considerando que aproximadamente 20% das organizações já identificaram pelo menos um ataque deste tipo nos últimos três anos. Para se proteger dessas ameaças, o Gartner prevê que o gasto mundial em segurança de IoT chegará a US$ 1,5 bilhão em 2018, um aumento de 28% em relação ao volume de US$ 1,2 bilhão em 2017.

"Nas iniciativas de IoT, as empresas geralmente não possuem controle sobre a fonte e tipo de software e de hardware utilizado pelos dispositivos inteligentes conectados", diz Ruggero Contu, Diretor de Pesquisas do Gartner. Segundo o analista, o Gartner estima crescimento no uso de ferramentas e serviços destinados a melhorar a gestão de ativos, a avaliação de segurança de sistemas e testes de invasão.

Além disso, prevê que as organizações vão aumentar seu entendimento das implicações de externalizar a conectividade de suas redes. Estes fatores serão os principais impulsionadores do crescimento de despesas com gastos em segurança de IoT, cujas expectativas são de US$ 3,1 milhões em 2021.

Apesar do crescimento estável ano a ano no gasto mundial, o Gartner prevê que até 2020 o maior inibidor de crescimento para segurança de IoT virá de uma falta de priorização, da implementação de melhores práticas de segurança e de ferramentas no planejamento de iniciativa de IoT. Isso dificultará o gasto potencial em segurança de IoT em 80%.

"Embora a segurança de IoT seja constantemente referida como uma preocupação fundamental, a maioria das implementações acaba sendo planejada, implantada e operada apenas nos departamentos em conjunto com as áreas de TI", afirma Contu. "Entretanto, a coordenação por meio de arquitetura comum ou de estratégia coerente de segurança é praticamente ausente, pois a seleção de soluções é feita na maioria dos casos de forma pontual e por setor, com base em alianças com os fornecedores de dispositivos e parceiros", assinala.

Enquanto os padrões básicos de segurança são revelados em muitos projetos verticais, eles ainda não são codificados em política ou modelos de projeto para permitir reuso coerente. Dessa forma, as normas técnicas para componentes de segurança específicos de IoT no setor ainda estão apenas começando a ser abordados em todos os organismos normativos, organizações consorciadas e coligações de fornecedores de segurança de TI estabelecidos.

A ausência de "segurança por projeto" surge de uma falta de regulamentações específicas e rigorosas. No futuro, o Gartner espera que esta tendência mude, especialmente nos setores fortemente regulamentados tais como os de assistência médica e automotivo.

Até 2021, o Gartner prevê que a demanda por regulamentação irá se tornar a principal influenciadora para implementação de segurança de IoT. Os setores que devem cumprir com as regulamentações e diretrizes destinadas a aperfeiçoar a proteção essencial de infraestrutura estão sendo obrigadas a aumentar seu foco em segurança como resultado da permeação de IoT no mundo industrializado.

"É crescente o interesse em aperfeiçoar a automação nos processos operacionais por meio da implantação de dispositivos inteligentes conectados, tais como sensores, robôs e conectividade remota, geralmente por meio de serviços baseados em Cloud", diz Contu. "Essa inovação, geralmente descrita como Industrial Internet of Things ou Industria 4.0, está realmente impactando a segurança nos setores da indústria que oferecem tecnologias operacionais, tais como energia, petróleo ou gás, transporte e fabricação", conclui.

]]>
Internet das Coisas Wed, 28 Mar 2018 00:00:00 +0000
Stefanini firma parceria com a VANTIQ, startup do Vale do Silício http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6283-stefanini-firma-parceria-com-a-vantiq-startup-do-vale-do-silicio http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6283-stefanini-firma-parceria-com-a-vantiq-startup-do-vale-do-silicio Breno Barros, diretor de Inovação & Negócios Digitais da Stefanini

Será ofertada ferramenta que permite o desenvolvimento de soluções de Internet das Coisas (IoT)

A Stefanini, provedora global de soluções de negócios baseadas em tecnologia, se une à VANTIQ, uma startup de tecnologia do Vale do Silício para oferecer a VANTIQ Application Platform. Considerada inovadora pelo mercado, a solução permite desenvolver soluções digitais complexas em questão de dias, o que acelera o processo de implementação de projetos relacionados principalmente à Internet das Coisas (IoT, sigla em inglês), além de outros voltados aos modelos de negócios digitais. De acordo com um estudo da consultoria IDC, somente em 2018 o mercado de IoT deve movimentar US$ 8 bilhões no Brasil.

Segundo Breno Barros, diretor de Inovação & Negócios Digitais da Stefanini, as empresas estão em sinergia, uma vez que buscam contribuir para a transformação digital em seus clientes. “A VANTIQ é uma empresa pioneira do Vale do Silício e encontrou na Stefanini uma grande parceira para alavancar negócios no Brasil. Nossos clientes têm muito a ganhar com essa colaboração, uma vez que ela torna possível o desenvolvimento de soluções inovadoras de forma rápida”, ressalta.

A VANTIQ é uma plataforma de soluções digitais em tempo real as-a-Service (PaaS), que visa a colaboração entre pessoas e máquinas para o desenvolvimento de negócios digitais mais eficientes. Por meio dela, é possível construir a lógica de um software e distribuí-lo em formatos diferentes para vários dispositivos, o que permite aos profissionais focarem em características específicas. No modelo anterior, era necessário desenvolver os códigos, linha a linha, o que demandava de pessoas um longo tempo. A plataforma da VANTIQ torna possível reduzir o desenvolvimento das soluções de meses para dias.

Além disso, a plataforma oferecida pela Stefanini também permite o gerenciamento em tempo real dos aplicativos para compreender os sistemas e agilizar a tomada de decisão. “A Stefanini e a VANTIQ estão alinhadas na importância de colaborar com seus clientes no processo de transformação digital, do ponto de vista tecnológico. Sabemos que o mercado está sob pressão e que as empresas que não participarem dessa transição, de maneira rápida estarão fora do mercado nos próximos dez anos”, afirma Marty Sprinzen, CEO da VANTIQ, em visita recente ao Brasil.

Para Eduardo Schvinger, Vice-Presidente da VANTIQ na América Latina, há uma retomada de crescimento da economia brasileira, o que representa uma grande oportunidade de negócios em diversos segmentos, como Finanças, Indústria, Saúde, Telecomunicações, Utilities e Varejo.

De acordo com Miguel Nhuch, Chief Business Development Officer da VANTIQ, a plataforma da startup se baseia em cinco pilares: missão crítica (performance, segurança e disponibilidade), cloud on premise, totalmente distribuída, com maior colaboração entre as máquinas e monitoramento em tempo real (Real-Time Events). “Isso significa que podemos monitorar e oferecer inteligência para que as empresas sejam ainda mais produtivas e automatizadas”, assinala.

“A parceria permite um grande nível de abstração e escalabilidade – milhões de acesso por segundo. Acreditamos que a solução trará uma contribuição significativa para o nosso portfólio de digital e, principalmente, enormes possibilidades para nossos clientes”, complementa Dulce Marchiori, gerente de produtos, soluções e parcerias da Stefanini.

]]>
Internet das Coisas Tue, 06 Mar 2018 00:00:00 +0000
Embratel e T-Systems formam parceria para ofertar conectividade IoT no Brasil http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6217-embratel-e-t-systems-formam-parceria-para-ofertar-conectividade-iot-no-brasil http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6217-embratel-e-t-systems-formam-parceria-para-ofertar-conectividade-iot-no-brasil Ideval Munhoz, presidente da T-Systems Brasil

Com o acordo, a integradora usará a rede da telco, tornando-se uma Mobile Virtual Network Operator

A Embratel e a T-Systems acabam de anunciar uma parceria para oferta de conectividade IoT (do inglês, Internet das Coisas) para o mercado brasileiro. O acordo vai permitir a oferta do IoT Service Portal, já disponibilizado pelo Grupo Deutsche Telekom em diversos mercados globais, incluindo Europa, Estados Unidos e China. 

Como resultado, a T-Systems Brasil, braço da Deutsche Telekom para oferta de soluções e serviços globais de TIC, e a Embratel, player do setor de telecom, com forte atuação em mobilidade corporativa e em TI, estão anunciando um acordo que vai permitir a comercialização de conectividade IoT no mercado brasileiro. Por meio da parceria, a T-Systems Brasil vai utilizar a rede da Embratel/Claro, tornando-se uma MVNO (Mobile Virtual Network Operator). A oferta do serviço começa neste início de 2018. 

“Atualmente, toda grande companhia precisa de conectividade para os aplicativos IoT que estão procurando implementar. Certamente nossa parceria com a Embratel vai permitir à T-Systems Brasil e ao Grupo Deutsche Telekom trazer serviços inovadores para o mercado brasileiro”, afirma Ideval Munhoz, presidente da T-Systems Brasil. 

“Por meio desta parceria, a T-Systems terá acesso à melhor tecnologia do mercado. Com o suporte da Embratel, a empresa terá conectividade, disponibilidade e qualidade de rede para suportar as operações de IoT de seus clientes globais no Brasil”, diz Marcello Miguel, diretor executivo de Marketing e Negócios da Embratel. 

O IoT Service Portal, da Deutsche Telekom, possibilita aos seus usuários operar e controlar, em tempo real, comunicações M2M (Machine-to-Machine), permitindo às áreas de negócios monitorar todos os seus cards M2M com seus correspondentes planos de dados e volumes de transmissão. 

Além disso, os usuários podem ativar, bloquear ou desabilitar seus SIM Cards M2M e também mudar seus planos de dados e funcionalidades. Para controlar a transmissão de dados, eles podem criar alertas para cada card, recebendo notificações automaticamente.

O portal é acessível por meio de uma conexão segura e suas funcionalidades podem ser facilmente integradas com ambientes de TI já existentes graças a APIs (Application Programming Interfaces) que podem ser utilizadas automaticamente. 

Conectividade IoT em diferentes indústrias e fronteiras

Mais e mais companhias de setores como o automotivo, energia, saúde e transporte vem operando internacionalmente, enfatizando a necessidade de integração das soluções locais de IoT com um contexto global.

Estas empresas levam a integração móvel, com os mais diferentes tipos de equipamentos IoT, às suas sedes, permitindo o acompanhamento de consumo de dados em tempo real, ou o controle remoto de máquinas, monitorando sua operação.

O IoT Service Portal da Deutsche Telekom foi desenvolvido com estes desafios em mente, oferecendo conectividade gerenciada em todo o mundo. 

Mais informações sobre o IoT Service Portal da Deutsche Telekom e suas ofertas dedicadas podem ser obtidas em: http://iot.telekom.com/en/

]]>
Internet das Coisas Mon, 15 Jan 2018 00:00:00 +0000
TROX Brasil implementa IoT e realidade aumentada http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6173-trox-brasil-implanta-projeto-de-iot-e-realidade-aumentada http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6173-trox-brasil-implanta-projeto-de-iot-e-realidade-aumentada Recursos de realidade aumentada são suportados no projeto

Solução da PTC acompanha o funcionamento de aparelhos de ar condicionado em hospitais, laboratórios, ambientes industriais e comerciais

A TROX do Brasil, subsidiária da alemã TROX, que atua no segmento de fabricação e venda de componentes, unidades e sistemas de ventilação e ar condicionado, adota a solução de IoT (Internet of Things) e realidade aumentada da americana PTC. É a primeira subsidiária da multinacional a garantir a qualidade do ar de hospitais, laboratórios farmacêuticos, ambientes industriais e comerciais por meio de automação, sensores e IoT. A solução também monitora os componentes dos aparelhos de ar condicionado industriais, inovando o processo de manutenção preventiva com alta tecnologia e conectividade. 

O projeto consolida a posição da TROX como a primeira empresa do segmento a implementar IoT no Brasil. A previsão da companhia é de entregar os primeiros equipamentos com IoT embarcado no primeiro trimestre de 2018. 

A solução ThingWorx da PTC permite que a TROX acompanhe a vida dos componentes de seus equipamentos, como também a qualidade do ar tratado por meio de IoT. Relatórios diários mostram como o cliente utiliza os equipamentos, fazendo com que a TROX consiga programar a manutenção preventiva e reparos, antes que desgastes provoquem a parada do equipamento. Já a realidade aumentada permite aos usuários utilizar um smartphone como um “raio-X” à procura de dados de sensores e alarmes sobre o equipamento real. 

Para Fernando Sousa, diretor de mercado da PTC América do Sul,  um dos grandes diferenciais do projeto é a inovação, provocando a abertura de novos mercados disruptivos, como o da servitização. 

A solução de IoT da PTC analisa as variáveis específicas como temperatura, pressão, vazão de ar e água dos equipamentos de ar condicionado instalados, que são customizados em função das especificidades de cada cliente. Com os dados coletados, a TROX tem o desenho completo de como o aparelho é utilizado no cliente final.

“Recebemos os dados em nossa sede, sem precisar ir ao cliente e, assim,  iremos aprimorar o desempenho dos equipamentos para conquistar melhor utilização, melhor eficiência energética e menores custos de manutenção”, destaca Jorge Osvaldo Zato, gerente corporativo de Engenharia, Pesquisa e Desenvolvimento da TROX do Brasil. 

Radiografia dos equipamentos 

No caso da realidade aumentada, os clientes TROX poderão, com um simples smartphone ou tablet, fazer um “raio X” completo do aparelho para ter um panorama de sua condição e enxergar possíveis defeitos, tudo isso sem sequer precisar abrir o equipamento. 

O projeto da TROX do  Brasil começou no final de 2016. A empresa InfoAxis Solutions, parceira da PTC, mostrou a solução ThingWorx que foi comparada com outras sete plataformas.  A PTC foi escolhida pelas funcionalidades e pela atuação global, como também  pela equipe de suporte especializada. 

Além disso, a TROX já utiliza as ferramentas CAD 3D (Creo) e o PLM (Windchill) ambas da PTC. Segundo Zato, “a determinação da InfoAxis foi fundamental para nos ajudar a entender e desenhar a solução, de forma a encontrarmos viabilidade técnica e financeira”. 

 

]]>
Internet das Coisas Mon, 04 Dec 2017 00:00:00 +0000
IDC nomeia PTC como líder global de plataformas IoT http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6103-idc-nomeia-ptc-como-lider-global-de-plataformas-iot http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6103-idc-nomeia-ptc-como-lider-global-de-plataformas-iot Jim Heppelmann, presidente e CEO da PTC

Empresa tem se destacado neste segmento com a solução ThingWorx®, já utilizada por mais de 1.200 empresas

A PTC (NASDAQ: PTC) anuncia que foi nomeada líder no mercado de plataformas IoT (Internet of Things) de acordo com relatório de pesquisa da IDC, intitulado “IDC MarketScape: Worldwide IoT Platforms (Software Vendors) 2017 Vendor Assessment”. O IDC MarketScape reconheceu a plataforma ThingWorx® Industrial IoT da PTC como uma das mais robustas plataformas de habilitação de aplicativos disponíveis hoje. A ThingWorx também oferece flexibilidade de implantação por meio da integração nativa com inúmeras plataformas de nuvem. 

O relatório IDC MarketScape examinou os recursos e as estratégias da PTC e de 11 outros fornecedores de plataformas IoT. Cada empresa foi avaliada de acordo com um conjunto abrangente de critérios, incluindo os elementos principais de uma plataforma IoT: gerenciamento de conectividade, gerenciamento de dispositivos, captura de dados, processamento, gerenciamento, ferramentas de visualização, ferramentas de habilitação de aplicativos e análises. 

A PTC tem liderado o mercado de plataformas IoT com sua solução ThingWorx® já na oitava versão, sendo utilizada por mais de 1.200 empresas. Também são mais de 250 parceiros e muitos integradores de sistemas que criaram centros de competências IoT em torno da tecnologia PTC. 

O ThingWorx é o núcleo do portfólio de tecnologia IoT da PTC, composto por uma plataforma de desenvolvimento rápido de aplicativos, conectividade, capacidades de aprendizagem em máquina, realidade aumentada e integração com os líderes de dispositivos em nuvem. 

Essas capacidades combinadas oferecem uma plataforma robusta de tecnologia IoT, permitindo, segundo a PTC, que os clientes usuários conectem recursos com segurança, criem aplicativos rapidamente e criem novas maneiras de capturar e manipular dados para gerar valor. 

O relatório destacou vários pontos fortes, observando “o patrimônio da PTC em CAD e software de engenharia, além de seus recursos de realidade aumentada, que tornam a PTC adequada para desenvolver a tecnologia digital twin, como a encontrada em seu ThingModel dentro da ThingWorx - uma característica que será cada vez demandada pelos clientes industriais”. 

O relatório continua a reconhecer a PTC por seus “muitos investimentos na tecnologia Industrial IoT que demonstram seu compromisso com o mercado. Os clientes observam que a PTC oferece uma plataforma rica em recursos”. 

Habilitação de aplicativos 

"A PTC estabeleceu-se como líder no mercado de plataforma IoT, pois oferece uma das mais robustas plataformas de habilitação de aplicativos disponíveis hoje com a ThingWorx", disse Stacy Crook, diretora de pesquisa do relatório Internet of Things Ecosystem and Trends da IDC. "A PTC tem sido bem sucedida no estabelecimento de relacionamentos de parceiros com significativos players no ecossistema IoT e não tem compromisso com uma única plataforma de nuvem, oferecendo aos clientes opções de implantação flexíveis", acrescenta. 

"Estamos satisfeitos pelo IDC MarketScape ter reconhecido os pontos fortes da PTC e nos posicionar como líder entre as plataformas IoT", disse Jim Heppelmann, presidente e CEO da PTC. "A PTC está empenhada em liderar a convergência dos mundos físico e digital, tornando acessível, intuitiva e robusta a IoT e a realidade aumentada (AR). Com a ThingWorx, as empresas podem transformar seus negócios e capitalizar o poder do IoT e AR mais rápido do que nunca ", enfatiza. 

Além do reconhecimento da IDC a PTC recebeu, em junho passado, os Compass Intelligence Awards, como a Industrial Internet of Things Company of the Year (IIoT) e Innovative Product of the Year Vendor for the Consumer pela solução de realidade aumentada ThingWorx® Studio (AR). 

Já em novembro de 2016 a PTC também foi nomeada líder pelo relatório Forrester Wave™ que avalia as plataformas de software de Internet de Coisas. A Forrester classificou a plataforma ThingWorx® da PTC com os maiores índices disponíveis de acordo com quinze critérios, incluindo "funções de conexão" e "análise avançada". No relatório “The Forrester Wave™: IoT Software Platforms, Q4 2016,”, a Forrester avaliou a PTC e 10 outros fornecedores em uma ampla gama de critérios para plataformas de software IoT, que, de acordo com a Forrester, "ajudam a simplificar a implantação, gerenciamento, operação e captura de informações dos dispositivos conectados habilitados para IoT ".

]]>
Internet das Coisas Wed, 08 Nov 2017 00:00:00 +0000
Brasileiros são os mais abertos à adoção da IoT http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6018-brasileiros-sao-os-mais-abertos-a-adocao-da-iot http://executivosfinanceiros.com.br/internet-das-coisas/6018-brasileiros-sao-os-mais-abertos-a-adocao-da-iot Brasileiros são os mais abertos à adoção da IoT

Pesquisa da Worldpay revela que 81% dos consumidores do País já estão preparados para fazer compras por meio de dispositivos conectados

Cada vez mais, a Internet das Coisas é amplamente aplicada nas diversas áreas desde eletrodomésticos até a indústria. O conceito de IoT (Internet of Things, em inglês), que é a conexão de objetos na rede global de computadores para coletar e trocar dados entre eles, introduz uma nova era de como as pessoas interagem com objetos, entre elas e como fazem negócios. Os brasileiros são os mais abertos à adoção desta nova tecnologia, de acordo com uma nova pesquisa da Worldpay, fornecedora global de soluções de pagamentos.

O estudo indica que os brasileiros são os mais propensos a usar a IoT, apontando que esse processo é parte da evolução das interações entre as empresas e as pessoas. Além disso, 81% dos pesquisados afirmaram que se sentiriam confortáveis em usar a plataforma, em comparação com o público de outros países abordados, como Austrália, China, Alemanha, Holanda, Cingapura, Espanha, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos.

Os consumidores chineses estão logo atrás, na segunda posição entre os mais receptivos à adoção da Internet das Coisas, com 61% dizendo se sentirem confortáveis na utilização de dispositivos conectados. No outro extremo da pesquisa, apesar de o Reino Unido ser uma das regiões mais preparadas do mundo para a aplicação do IoT, ele ocupa a última posição da lista, pois somente 23% das pessoas gostariam de contar com um dispositivo conectado para fazer pedidos de produtos em nome delas sem necessidade de pedir permissão.

O levantamento também revelou que brasileiros acreditam que a tecnologia IoT será responsável por tornar o cotidiano mais fácil e prático, e apenas 43% dos pesquisados disseram que fariam questão de aprovar cada compra antes de o pedido ser feito pelo dispositivo.

Ao mesmo tempo, o consumidor brasileiro tem algumas restrições na maneira como gastam seu dinheiro, com 78% optando por manter o controle de seus orçamentos e desejando receber uma notificação antes de o processo de compra ser concluído. Além disso, 67% deles preferem estabelecer regras para compras como limitar o valor que pode ser gasto a cada semana,

Apesar de os brasileiros serem mais propensos à adoção dos dispositivos conectados, a privacidade dos dados pessoais é uma preocupação para 74% dos pesquisados, que se interessam em saber como as empresas compartilham seus dados pessoais. E um índice ainda maior (82%) se preocupa com o risco de esses aparelhos serem invadidos por hackers.

Kit de desenvolvimento

Para incentivar as empresas a usar soluções integradas com IoT, a Worldpay está testando um kit de desenvolvimento de software de código aberto (SDK) para facilitar os pagamentos por meio desta tecnologia. O Worldpay Within é uma solução de pagamentos que pode ser instalada em qualquer dispositivo inteligente, permitindo criar e adquirir pagamentos de forma rápida e eficaz, assim como em um ambiente de compras físicas. Com o número de dispositivos conectados estimados em até 20 bilhões até o final deste ano, é importante que eles se comuniquem entre si, inclusive para fazer pagamentos.

Sobre essas descobertas, Juan D'Antiochia, gerente geral da Worldpay para a América Latina, afirma: “Não importa se uma tarefa é executada por um humano ou por uma máquina, mas sim que os consumidores estejam no controle da delegação dos pagamentos e das atividades. A nossa pesquisa também indicou que o consumidor quer ter controle e ser informado sobre cada compra e atividade realizada pelo dispositivo, seja por meio de uma notificação no display, de um clique de botão ou a partir de uma regra pré-estabelecida, como um limite de gastos que seja acordado com antecedência, por exemplo".

“O que mais chama a atenção sobre esses avanços tecnológicos é que são diversas as oportunidades para os assistentes virtuais e dispositivos conectados que tornam a vida dos consumidores mais fácil. Se esses mesmos equipamentos também puderem oferecer aos consumidores um estilo ‘concierge’, que reduza o tempo que as pessoas gastam com a administração de tarefas no dia a dia, não há motivo para que não queiram delegar também responsabilidades de compras – no fim das contas, todos nós ganharíamos mais tempo para nós mesmos. A conclusão é que os consumidores precisam acreditar nas máquinas, confiando que podem tomar as decisões corretas e manter seus proprietários informados e no controle", conclui.

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi conduzida por Opinium em junho de 2017 e entrevistou 20 mil consumidores sobre a Internet de Coisas na Austrália, Brasil, China, Alemanha, Holanda, Cingapura, Espanha, Suécia, Estados Unidos da América e Reino Unido. O relatório completo do Consumidor Conectado está disponível mediante solicitação. No Brasil, o estudo entrevistou 2.014 consumidores.

 

]]>
Internet das Coisas Wed, 27 Sep 2017 00:00:00 +0000