Menu

Entrevista com Luis Filipe Cavalcanti, da APPI

Entrevista com Luis Filipe Cavalcanti, da APPI

Nesta entrevista concedida a Guilherme Berriel, editor-chefe do portal da EF, Luis Filipe Cavalcanti, CEO da APPI, traça um amplo panorama da área de meios de pagamento nos dias de hoje. Entre outros aspectos, o entrevistado destaca o intenso dinamismo que vem caracterizando este mercado, com a introdução constante de inovações e um processo já deflagrado de consolidação de “players”. Ele trata também das questões regulatórias e dos arranjos entre as empresas, além da falar das iniciativas da APPI e das perspectivas colocadas daqui para frente.

 

PARTE 1

O entrevistado descreve o perfil da APPI, que nasceu no Rio de Janeiro e hoje mantém um escritório em São Paulo, onde estão alguns de seus principais clientes, e também no México, havendo canais na Colômbia e na Argentina. Ainda neste ano, deverão ser abertos escritórios no Peru e nos EUA.

A APPI desenvolve plataformas de transações eletrônicas em geral, o que inclui a parte de meios de pagamento. O portfólio abriga soluções para diversos canais e aplicações, sendo o m-payment a mais relevante hoje. São ofertados produtos como POS tradicional, o m-POS (mobile POS) e a solução via PC. Do lado do consumidor, a empresa dispõe uma solução de wallet.

 

PARTE 2

Cavalcanti fala do mercado de meios de pagamentos, da regulação por parte do Banco Central e da estruturação de arranjos entre as empresas que atuam no setor. Nota que se trata de uma área muito dinâmica, demandando uma fase de adaptação envolvendo processos, integrações, interoperabilidade e mudanças de hábito do consumidor.

Além dos “players” tradicionais, como as adquirentes e os bancos, há os novos, que surgiram por intermédio de “joint-ventures” e de acordos com as operadoras de telefonia. Há também empresas trabalhando com subadquirência e outras oriundas do mundo virtual. O mercado vai continuar crescendo, mas têm de ser enfrentados desafios, como os de natureza cultural, com os usuários se habituando aos novos meios, e a necessária preparação das redes de aceitação.

PARTE 3

O entrevistado analisa o processo de consolidação do mercado de meios de pagamentos, que, a seu ver, já teve início, com foco na aquisição de pequenas operações. A meta das iniciativas é obter ganhos de escala e de “know-how”, além de se diversificar ou fortalecer as ofertas pela incorporação de “players” atuantes. Alguns bancos, neste contexto, já buscam adquirir capacitações no setor.

PARTE 4

Ao abordar especificamente o futuro da APPI, Filipe Cavalcanti afirma que o objetivo da empresa é crescer. Ela já mantém atualmente uma carteira diversificada, que inclui bancos, seguradoras, adquirentes e outros perfis de clientes. Um exemplo de projeto realizado é a parceria formada com a Perto no fornecimento de POS para o Banrisul.

PARTE 5

O mercado de meios de pagamento é muito dinâmico, gerando desafios diários e exigindo paixão dos que nele atuam, como é o caso da própria APPI, segundo o entrevistado. Além de fornecer tecnologia, a empresa opera terminais POS no Brasil todo, realizando tarefas como autorização “in-house” e conciliação, entre outras. A APPI se coloca estrategicamente no coração da operação de seus clientes, entre os quais estão Cielo, Rede, Banrisul, entre outros, compartilhando objetivos com eles.

PARTE 6

O CEO relata os investimentos feitos pela APPI em instalações e contratação de pessoal. Somente em 2014, houve um aumento de 30% no “staff”, atingindo um total de quase 100 colaboradores, número que se altera todo dia. A maioria deles atua com desenvolvimento e operação. O entrevistado fala também dos demais dirigentes, bem como da composição acionária da desenvolvedora.

PARTE 7

Um ponto fundamental a levar em conta nesta área, segundo Filipe Cavalcanti, é a experiência vivida pelo consumidor ao fazer uso das soluções tecnológicas. É preciso que a operação propicie flexibilidade suficiente que permita a disponibilidade de mais serviços e de inovações no atendimento, criando-se canais realmente eficientes. Este é um fator crítico de sucesso, gerando fidelização e agregando valor. A APPI, ressalta o executivo, tem como foco a transformação das operações.

PARTE 8

O CEO enfatiza o elevado dinamismo da tecnologia voltada para os meios de pagamento, exigindo que os “players” fiquem ligados 24 horas nas novidades que despontam a todo o momento no mercado. A APPI procura incorporar às operações as demandas dos clientes e dos clientes dos clientes, que ditam o ritmo das inovações e tendências emergentes.

 

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo
Info for bonus Review William Hill here.

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes