Menu

WhatsApp é o segundo canal preferido de negociação, aponta pesquisa da Intervalor

WhatsApp é o segundo canal preferido de negociação, aponta pesquisa da Intervalor

O telefone é o principal canal, com 52% dos entrevistados. A rede social detém uma parcela de 20% da preferência

A Intervalor, empresa especializada em crédito, cobrança, back office e  relacionamento, fez uma pesquisa para identificar qual o meio preferido de negociação. O resultado apontou que 52% dos entrevistados preferem o telefone como principal canal, mas o WhatsApp já está caindo na graça dos consumidores, com 20% da preferência.

“Já era esperado que o telefone fosse apontado como canal preferido de negociação, principalmente por uma questão cultural, considerando que até pouco tempo atrás, era um dos únicos canais que permitia interação à distância com uma empresa”, declara Phelipe Alvarez, diretor comercial e marketing da Intervalor.

O índice de clientes que apontaram o WhatsApp como canal preferencial, por sua vez, não surpreendeu à Intervalor, e a empresa acredita que este meio deve crescer significativamente, à medida que tais consumidores experimentarem formas mais convenientes de resolver problemas simples do seu cotidiano, como pagar uma dívida.

“O consumidor, de todas as classes, já está pronto para uma interação digital há bastante tempo, uma vez que já incorporou essa realidade em seu cotidiano pessoal. Cabe às empresas entender como ser relevante na interação digital com o consumidor. Sendo relevante, uma oferta para compra de um produto ou pagamento de uma dívida que apareça na timeline do Facebook, não incomodará o consumidor”, afirma Alvarez.

No caso de cobrança, a interação digital é ainda mais sensível, uma vez que 27% dos consumidores devem para três ou mais credores e os recursos para pagamento são limitados. “Vai ser mais bem sucedida a empresa que souber empoderar o devedor, ou seja, lhe der opções para resolver, quando e como ele quiser”, finaliza o executivo.  

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes