Menu

Remessas mundiais de PCs declinam pelo quinto ano consecutivo, aponta Gartner

Remessas mundiais de PCs declinam pelo quinto ano consecutivo, aponta Gartner

No ano passado, as remessas alcançaram 269,7 milhões de unidades, uma queda de 6,2% comparado ao ano anterior, seguindo uma diminuição anual que acontece desde 2012

Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento imparcial em tecnologia, aponta que as remessas mundiais de PCs totalizaram 72,6 milhões de unidades no quarto trimestre de 2016, uma queda de 3,7% em relação mesmo período de 2015, de acordo com resultados preliminares. Em 2016, as remessas alcançaram 269,7 milhões de unidades, um declínio de 6,2% comparado ao ano anterior, seguindo uma queda anual que acontece desde 2012.

"A estagnação no mercado de PCs continuou no quarto trimestre de 2016, já que as vendas de fim de ano foram consideravelmente fracas devido à mudança fundamental no comportamento de compra de PCs. O amplo mercado de computadores está estático porque as melhorias tecnológicas não foram suficientes para impulsionar um crescimento real das vendas. Novos formatos inovadores têm sido criados, como os 2-em-1 e notebooks finos e leves, e melhorias tecnológicas foram implementadas, como maior duração da bateria. Essa parcela do mercado tem crescido rapidamente, liderada por usuários de PCs fieis. No entanto, o mercado impulsionado por entusiastas de computadores não é grande o suficiente para estimular o crescimento global", explica Mikako Kitagawa, analista do Gartner.

"Há uma outra parte do mercado de PC em que eles não são usados com frequência. Os consumidores nesse segmento têm alta dependência de smartphones, então alongam os ciclos de vida dos computadores por mais tempo. Essa fatia de mercado é muito maior do que a de entusiastas de PCs, de forma que o alto declínio da compra por usuários não frequentes sobrepassa o crescimento rápido gerado pelos entusiastas", afirma a Analista.

Mikako explica que, embora o cenário global de computadores veja estagnação no futuro, existem oportunidades de crescimento, como o mercado de usuários fiéis de PCs, o de negócios e o de jogos. No entanto, essas áreas em ascensão não impedirão o declínio global pelo menos no próximo ano.

Quatro dos seis maiores fornecedores observaram um aumento nas remessas mundiais de PCs durante o quarto trimestre de 2016. Os três principais fornecedores ampliaram sua participação de mercado global no período. A Lenovo manteve a primeira posição, com aumento de remessas na América do Norte e EMEA (Europa, Oriente Médio e África), enquanto a Ásia/Pacífico e o Japão continuaram a ser mercados desafiadores.

 

A HP manteve-se na segunda posição e registrou três trimestres consecutivos de aumento de remessas. A empresa assegurou a posição no topo das vendas de PCs nos Estados Unidos e EMEA, crescendo mais rapidamente do que as médias regionais.

A Dell também registrou três trimestres consecutivos de crescimento de remessas no período. A companhia continuou a alocar os PCs como um segmento estratégico de negócios nos mercados comercial e de consumo durante 2016. A Asus sofreu o maior declínio entre os seis maiores fornecedores no quarto trimestre do ano passado. A empresa vem mudando sua estratégia de computadores, agora mais direcionada para o mercado Premium, o que lhe permitirá manter melhores margens de lucro. Os analistas do Gartner afirmam que a queda no volume de remessas pode ser a causa dessa mudança.

Nos EUA, as remessas de PCs totalizaram 16,5 milhões de unidades no quarto trimestre de 2016, uma queda de 1,3% em relação ao mesmo período de 2015. Cinco dos seis maiores vendedores no mercado de computadores do país observaram um aumento de remessas no quarto trimestre do ano passado. No entanto, isso foi compensado por uma queda de 20,9% na categoria Outros e uma queda de 48,3% nas remessas da Asus.

"Semelhante às baixas vendas de volta às aulas no terceiro trimestre de 2016, grandes eventos, como a Black Friday, a Cyber Monday e as vendas de fim de ano não são mais oportunidades de marketing eficazes para PCs, uma vez que as compras são geralmente impulsionadas por ‘necessidade’ e não ‘vontade’ ou ‘motivação’", afirma Mikako. "Os PCs não são mais um item favorito para presente. Os consumidores preferem outros produtos eletrônicos de consumo, como caixas de som de assistente pessoal virtual (VPA), aparelhos de realidade virtual (VR) com display montado na cabeça e dispositivos vestíveis. Os fornecedores e canais não tinham grandes expectativas para as vendas de computadores no fim de ano, então as campanhas de marketing permaneceram relativamente silenciosas", completa.

As vendas na Europa, Oriente Médio e África totalizaram 22 milhões de unidades no último trimestre de 2016, um declínio de 3,4% em relação ao mesmo período de 2015. As remessas de PCs da Europa Ocidental mostraram melhores resultados no período, graças a uma Black Friday bem-sucedida. Os notebooks tradicionais, os dobráveis ultraportáteis, os dispositivos híbridos e os computadores para jogos venderam particularmente bem entre os consumidores do Reino Unido e da França. O segmento de negócios registrou crescimento nas remessas de PCs, liderado pelas implantações do Windows 10 no último trimestre de 2016.

O mercado de computadores da Ásia/Pacífico totalizou 24,8 milhões de unidades no quarto trimestre de 2016, uma queda de 3,9% em relação ao mesmo período de 2015. As vendas foram afetadas por dois grandes eventos. Primeiro, a desmonetização da moeda indiana levou a uma demanda de consumo de PCs mais fraca que o esperado. Em segundo lugar, o sucesso do 11.11 (Singles Day em 11 de novembro), um evento de compras on-line na China, deu um impulso às vendas de notebooks.

As remessas mundiais de PCs totalizam 269,7 milhões de unidades em 2016 mesmo nível de 2007. A consolidação do mercado aumentou no último ano, uma vez que os três principais fornecedores (Lenovo, HP e Dell) representaram 54,7% das vendas mundiais de PCs em 2016, comparado a 51,5% em 2015.

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo
Info for bonus Review William Hill here.

Finanças

TI

Canais

Executivos Financeiros

EF nas Redes